Quer abrir uma loja virtual?

Tráfego pago para iniciantes: o que é, vantagens e ferramentas para seu e-commerce

Imagem mostra o logo da Shopify e, ao lado, o texto "tráfego pago". No fundo, há uma imagem de pontos brancos interligados em rede.

Atraia mais clientes para o seu e-commerce com o tráfego pago. Não sabe o que é tráfego pago? Não tem problema! Preparamos para você este guia de tráfego pago para iniciantes, mostrando tudo o que você precisa saber e dando ainda 7 dicas para que seus anúncios sejam arrasadores.

Muito lojista de primeira viagem fica assustado com a ideia de usar tráfego pago. Afinal, como saber se o dinheiro vai ser bem investido, se suas estratégias de marketing vão realmente dar retorno?

Neste artigo você vai descobrir o que é tráfego pago e por que esse tipo de tráfego merece o seu investimento. Além disso, a gente vai mostrar algumas ferramentas de mídia paga e ainda dar algumas dicas de como criar campanhas de sucesso. Chega mais!


O que é tráfego pago?

Foto para texto de tráfego pago mostra uma avenida movimentada vista de cima. Na foto, há uma faixa de pedestres onde tem dezenas de pessoas cruzando a avenida.

Diferente do que o nome possa indicar, tráfego pago não é pagar um monte de gente para acessar seu site o dia inteiro. O tráfego pago, na verdade, corresponde aos visitantes que chegam até um site ou um perfil nas redes sociais por meio de anúncios, também chamados de mídia paga.

Todo acesso que sua plataforma recebe é tráfego, seja ele oriundo de resultados de busca, de redes sociais ou de outros sites da internet. O que a gente chama de “tráfego pago” justamente é a estratégia de investir uma determinada quantia para atrair mais acessos e gerar mais tráfego.

Ao pagar por esse tipo de publicidade, a loja virtual em questão ganha um anúncio de destaque em resultados de busca, nas redes sociais e em outros sites da internet.

Qual a diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico?

A principal diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico diz respeito ao tipo de investimento que você faz: enquanto no tráfego pago o investimento é financeiro, no tráfego orgânico o que você investe é, de forma bem sucinta, o seu tempo.

O volume de visitas que você vai atrair com o tráfego pago vai depender quase que exclusivamente do seu orçamento. É claro que aqui entram em jogo outros fatores, como a qualidade do seu anúncio e o copywriting, mas pagar por um anúncio é como alugar um espaço na entrada do shopping center, onde todo mundo vai ver sua loja virtual.

Foto do artigo sobre tráfego pago mostra uma avenida movimentada, onde é possível ver carros em alta velocidade e, à direita da imagem, uma calçada cheia de pedestres e barracas de vendas.

Já o tráfego orgânico diz respeito ao público que chega até seu e-commerce, landing page ou perfil nas redes sociais naturalmente. São pessoas que viram um conteúdo ou um produto que gostaram e clicaram para saber mais.

O tráfego orgânico em si não tem custo nenhum; você consegue chamar mais pessoas para seu site apenas produzindo conteúdo de qualidade e desenvolvendo uma boa estratégia de inbound marketing.

Também há uma distinção em termos de resultados. Ao cultivar um tráfego orgânico, você estará investindo em uma estratégia mais contínua de atrair visitantes, porém mais demorada para mostrar resultados. Já o tráfego pago, apesar de gerar resultados de forma mais acelerada, tem duração limitada — ao fim da campanha criada, você para de pagar, e os anúncios são tirados do ar. 

Os dois tipos de tráfego podem contribuir bastante com suas estratégias de marketing digital. Em um mundo ideal, todo e-commerce poderia investir em ambos, mas nem sempre isso é possível. Se esse for o seu caso, cabe a você definir qual caminho trará mais benefícios para o seu negócio, levando em consideração os recursos que você tem à sua disposição.

Por que investir em tráfego pago?

Agora que você sabe o que é tráfego pago, outra pergunta que deve ter pintado na sua cabeça é: vale a pena investir em tráfego pago?

A gente não tem uma resposta definitiva para você, mas o tráfego pago pode trazer alguns benefícios para sua loja virtual em relação ao tráfego orgânico. Confira a seguir quais são essas vantagens.

Os resultados vêm mais rápido

Foto em alusão ao tráfego pago mostra um centro comercial no Brasil, onde há um corredor estreito com lojas de ambos os lados e, no corredor, há diversas pessoas transitando.

É possível ter resultados incríveis e duradouros com o tráfego orgânico, mas vamos combinar que dá uma trabalheira produzir conteúdo para um e-commerce. Além disso, você precisa cativar seu público com o tempo, o que torna todo o processo mais demorado.

Você não tem que esperar tanto com o tráfego pago: um anúncio é capaz de alavancar a visibilidade da sua loja virtual e atrair mais visitantes em um período curtíssimo de tempo, aumentando também seu reconhecimento de marca. As plataformas de tráfego pago recebem o seu dinheiro e, em troca, oferecem ao seu negócio um espaço VIP em resultados de busca, redes sociais e até mesmo outros sites da internet.

Não exige conhecimentos de marketing de conteúdo

Ao investir em tráfego pago, você não precisa se preocupar em gerar leads com conteúdo de qualidade, nem em desenvolver estratégias de SEO marketing.

Alimentar seu site, blog ou perfil nas redes sociais frequentemente com conteúdo de valor pode ser complicado se sua equipe ainda é bastante enxuta. Nesse caso, o tráfego pago pode acabar sendo uma alternativa menos custosa para o seu negócio.

Checklist de SEO para ecommerce

Quer otimizar sua loja virtual para ela ranquear melhor nos resultados de pesquisa? Baixe a nossa checklist gratuita de SEO para e-commerce.

Você pode criar campanhas com objetivos mais específicos

Nem toda empresa tem orçamento para manter anúncios rodando o ano inteiro, e tá tudo bem! Outra vantagem do tráfego pago é justamente poder criar campanhas mais pontuais, com objetivos mais específicos: para se preparar para a Black Friday, lançar um produto ou coleção, anunciar ofertas para aumentar sua receita e por aí vai.

Aumenta as conversões de seu e-commerce

Foto para ilustrar artigo sobre tráfego pago mostra uma barraca de rua. À frente da barraca, há uma dezena de clientes aguardando serem atendidos.

De modo geral, os anúncios podem ajudar a melhorar diversos KPIs do seu e-commerce, mas é claro que, no fim das contas, todo mundo quer vender mais.

E este é um dos principais benefícios do tráfego pago: os anúncios têm o poder de dar aquele último empurrãozinho nos leads que estão mais pro fundo do funil de vendas, aumentando assim as conversões da sua loja virtual.

Pense em uma pesquisa no Google, por exemplo. Quantas vezes você já não usou o Google para procurar um produto sem nem saber de que marca comprar? Ao colocar um anúncio do seu e-commerce no topo dos resultados de busca do Google, usando as palavras-chaves certas, você está no caminho certo para a otimização da taxa de conversão.

Como funciona o tráfego pago?

Entender como funciona o tráfego pago é, basicamente, conhecer as opções que você tem de pagar pelos seus anúncios. De maneira geral, as plataformas oferecem uma das duas opções: ou você paga por clique, ou por impressões.

Independente da forma que você escolher, as plataformas criam uma espécie de leilão entre os anúncios. Quanto maior o seu lance (em inglês, bidding) nesse leilão, mais destaque seu anúncio vai ter dentro da plataforma. Vamos explicar como isso funciona para cada um dos modelos de pagamento.

🧲 Atraia mais clientes sem acabar com o orçamento: preparamos para você um guia de como conquistas novos clientes sem afetar a lucratividade do seu negócio.

CPC (custo por clique ou cost per click)

Foto de tráfego pago mostra uma pessoa sentada à mesa, diante de um laptop. A tela do laptop mostra gráficos do Google Analytics. Ao lado do laptop, há uma caneca, duas canetas e um smartphone.

Nas plataformas que cobram pelos anúncios por CPC, você paga por cada clique que o seu anúncio receber. O Google Ads é um exemplo de ferramenta que cobra por CPC.

O CPC, na verdade, se refere ao gasto que você terá no fim da campanha. Esse cálculo é feito da seguinte maneira: o valor investido em marketing em uma determinada mídia é dividido pelo número de acessos que esse anúncio trouxe.

Escolha uma ferramenta que cobre por clique se o seu objetivo é atrair mais tráfego de leads para seu e-commerce ou seu perfil nas redes sociais.

O pagamento por clique também é vantajoso se você tem um orçamento já definido para essa sua ação lá no seu plano de marketing. Na hora em que você vai informar seu lance, você pode optar pelo lance automático (automatic bidding) ou pelo manual (manual bidding).

Com o lance automático, você define um orçamento diário para aquele anúncio. A partir daí, a plataforma calcula como trazer o máximo de cliques possíveis para seu anúncio dentro do valor pré-definido. Ao optar pelo lance manual, você é cobrado a cada clique recebido, porém você pode determinar um número limite de cliques, de modo a não extrapolar seu orçamento. 

💡 Uma dica para economizar com tráfego pago: aproveite o espaço do seu anúncio para dizer especificamente o que sua loja faz, fornecendo informações importantes que já respondam às dúvidas do seu público. Se, por exemplo, você incluir o telefone de contato em seu anúncio no Google, você tem como vender mais sem que você tenha que pagar pelo clique.

CPM (custo por mil impressões)

Existe também a possibilidade de pagar pela exibição do anúncio, que é o caso das principais redes sociais como o Facebook Ads. Essa exibição é chamada de “impressões”, e em geral você paga um valor estabelecido por você a cada mil impressões, mesmo que as pessoas não cliquem no seu anúncio.

As ferramentas com custo por mil impressões também trabalham com o sistema de bidding. Isso significa que os lances dados pelas empresas para a mesma palavra-chave são analisados e, a partir daí, a ferramenta decide quais anúncios exibir primeiro.

Se o que você está buscando é mais visibilidade para sua marca, pagar pelos anúncios por impressões talvez seja a melhor opção. Com o CPM, você tem mais chances de alcançar um público maior. Entretanto, há uma desvantagem: é possível que, mesmo pagando pelas impressões, seu anúncio não receba nenhum clique e você não consiga a tão sonhada primeira venda.

Como você pôde ver, ambos os modelos de pagamento tem vantagens e desvantagens. Cabe a você determinar qual deles atende melhor aos objetivos do seu negócio e cabe melhor em seu orçamento.

7 ferramentas de tráfego pago para o seu e-commerce

Bem, já cobrimos o que é tráfego pago e como funciona, então agora vamos conhecer algumas das principais plataformas que oferecem o serviço de anúncios para lojistas como você. Mais uma vez, cada uma traz benefícios diferentes, então analise com calma cada uma delas para decidir em qual investir.

Também pode pesar na sua decisão o fato de que algumas dessas ferramentas podem ser administradas no mesmo ambiente. O Facebook e o Instagram, por exemplo, pertencem à mesma empresa e compartilham a mesma ferramenta de gerenciamento de anúncios. Vamos às ferramentas!

📲 Confira nossa lista de 13 apps grátis da Shopify que vão facilitar sua vida como lojista!

Google Ads

Não dá para pensar em vendas online sem levar em conta o Google. O gigante das ferramentas de busca oferece uma série de recursos para ajudar você a expor seus produtos aos quase 4 bilhões de usuários do Google.

Com o Google Ads, seus anúncios aparecem quando os usuários fazem uma busca no Google ou em outros sites da empresa. Dentre os diversos recursos que a plataforma oferece, está a possibilidade de segmentar a audiência dos seus anúncios de acordo com a localidade, a faixa etária e outras características dos usuários.

Você também pode refinar suas estratégias de marketing digital no Google Ads com a ajuda de testes A/B. O Google Ads possibilita a realização desses testes para que você avalie a eficácia de diversos elementos do seu anúncio e possa entender o que funciona melhor para o seu público.

Caso você queira aprender mais sobre como criar campanhas no Google Ads, não deixe de conferir nosso guia sobre Google Ads.

Facebook Ads

Foto de tráfego pago no Facebook Ads mostra a tela de um celular com o Facebook Ads, onde é possível ler: "Comece a criar anúncios".

Não pense que o Facebook é coisa do passado. Segundo as estatísticas do Facebook para 2022, a rede social conta com 148 milhões de brasileiros e 2,9 bilhões de usuários em todo o mundo, então não deixe de considerar o Facebook em suas estratégias de marketing digital.

Uma vantagem do Facebook Ads como ferramenta de tráfego pago é poder deixar a criatividade rolar em seus anúncios e usar tanto fotos quanto vídeos para promover seus produtos.

Tal como acontece com o Google Ads, é possível criar públicos personalizados no Facebook para que seu anúncio seja exibido para quem tem mais chances de se identificar com sua marca e comprar o seu produto.

Bateu curiosidade de explorar o que o Facebook Ads tem a oferecer? Então dê uma olhada no nosso guia sobre como anunciar no Facebook Ads.

Instagram Ads

Você já deve saber que existem diversas formas de vender na internet com o Instagram. Se o seu público está no Instagram, vale a pena explorar as opções de mídia paga que a rede social oferece.

Assim como no Facebook, é possível criar uma série de formatos de anúncios que são exibidos para os usuários de acordo com o algoritmo do Instagram: fotos ou vídeos, publicações no feed ou nos Instagram Stories, e por aí vai.

Com o Instagram Ads, você pode alcançar uma gama de objetivos, que vão desde aumentar conversões até colocar o nome da sua marca na boca do povo. Para conhecer mais as opções de tráfego pago no Instagram e criar anúncios de sucesso, confira nosso guia de publicidade no Instagram.

YouTube Ads

Foto de artigo sobre tráfego pago mostra uma pessoa de costas, segurando um tablet. Na tela do tablet, é possível ver o número de inscritos num canal do YouTube. No fundo da imagem, há um monitor de computador.

Sabe aqueles anúncios que aparecem antes e durante um vídeo no YouTube? Que tal colocar sua marca para aparecer lá? O YouTube Ads pode ser um grande aliado de tráfego pago, já que a rede social de vídeos não para de crescer.

Se seu e-commerce já tem ou quer criar um canal no YouTube, melhor ainda! O YouTube Ads também ajuda a promover seus vídeos, dando a eles um lugar de destaque nas sugestões para os usuários.

TikTok Ads Manager

Foto de tráfego pago mostra o site do TikTok aberto no navegador de um computador, onde é possível ver a página inicial do TikTok.

Outra forma de fazer sua loja virtual viralizar e atrair ainda mais tráfego é com os anúncios no TikTok. Segundo as estatísticas do TikTok no Brasil, a rede social conta com mais de 4 milhões de brasileiros e mais de 1 bilhão de usuários ativos por mês no mundo! Quer uma vitrine melhor que essa?

O TikTok For Business é uma ferramenta criada pela empresa para centralizar todo o marketing feito no TikTok. Através do TikTok For Business, você ganha acesso ao TikTok Ads Manager, a ferramenta de anúncios do TikTok.

O TikTok permite que você defina critérios como o seu público-alvo na rede social e ainda possibilita avaliar o desempenho dos anúncios.

Se seus olhos brilharam com a possibilidade, não deixe de ver nosso artigo sobre o TikTok for Business e TikTok Ads para aprender como anunciar na rede social do momento.

LinkedIn Ads

O LinkedIn Ads é uma boa pedida para quem vende serviços e/ou tem um negócio B2B. Apesar de ser um tráfego pago um pouco mais caro, o tom profissional do LinkedIn pode compensar o custo, já que a rede social está cheia de usuários que buscam oportunidades e parcerias relacionadas à área de atuação deles.

Com o LinkedIn Ads, você tem a opção de promover publicações do seu perfil, da página de sua empresa ou ainda enviar mensagens diretamente para os usuários.

Se você se interessou pelo potencial do LinkedIn para atrair clientes e vender mais, confira abaixo o nosso webinar sobre o LinkedIn para negócios:

Native ads

Você pode nunca ter ouvido falar de native ads, mas com certeza já viu um. Os native ads, também chamados em português de anúncios nativos, são aqueles anúncios que aparecem ao longo de outros sites e que, em geral, são relacionados ao tema da página que o usuário está lendo.

Diferente dos anúncios pop-up e dos banners para loja online, que alguns usuários consideram invasivos, os anúncios nativos têm uma transição mais sutil e interferem menos na experiência de leitura.

É uma excelente estratégia para aumentar o reconhecimento de marca e receber mais tráfego em seu site ou sua landing page. As ferramentas de native ads mais conhecidas do mercado são Taboola e Outbrain.

🗣 Movimente sua loja com anúncios de produtos! dê uma olhada no nosso guia de como anunciar produtos e seja um sucesso de vendas!

Tráfego pago para iniciantes: 7 dicas de sucesso

Foto em alusão ao tráfego pago mostra uma avenida de mão dupla, vista de cima. Na avenida, há diversos carros e caminhões. Entre as duas pistas da avenida, há árvores verdes. Sobre a pista, há uma passarela para pedestres.

Agora que você já entende a importância do tráfego pago para suas estratégias de marketing digital e também já conhece algumas ferramentas, a gente quer garantir que seus anúncios sejam um sucesso! Reunimos algumas dicas para você gerar mais tráfego online e tirar o máximo de proveito das suas campanhas.

1. Defina um público-alvo bem específico

Se você ainda está naquela ansiedade de quem acabou de abrir um e-commerce, é normal ter o impulso de anunciar sua marca para Deus e o mundo. O problema é que alcançar mais pessoas não significa necessariamente mais êxito em sua estratégia ou suas campanhas de marketing digital.

O que vai acabar acontecendo é: você vai gastar uma grana exibindo anúncios para pessoas que nunca vão comprar seu produto. Por isso, o recomendado é você estabelecer uma buyer persona, um perfil de público ideal e bem específico, e direcionar seus anúncios para essa persona.

Quanto mais você conhecer a sua persona, mais você vai entender as dores e as necessidades dela, o que ajuda a tornar seus anúncios ainda mais eficazes.

Use e abuse da segmentação nas ferramentas de tráfego pago, que permitem que você defina características que vão desde dados sociodemográficos como idade e localização até gostos e interesses.

🧩 Elabore a estratégia de marketing digital perfeita: aprenda o que é mix de marketing e encontre as melhores possibilidades de lucro para o seu negócio.

2. Escolha as melhores redes sociais para o seu público-alvo

Foto ilustrativa de tráfego pago mostra um celular visto de cima. Na tela do celular, há ícones para os seguintes aplicativos: Facebook, Messenger, Instagram, WhatsApp, TikTok e Twitter. O celular está sobre uma mesa de cor branca.

No mundo do marketing digital, dificilmente uma empresa usa apenas um canal para anunciar produtos. Em geral, os negócios aliam ferramentas diferentes para obter o melhor resultado possível.

Enquanto o Google Ads e os native ads são uma categoria à parte, boa parte das plataformas correspondem a redes sociais, e vamos combinar que fica difícil investir em todas elas ao mesmo tempo. Então quais redes sociais escolher para rodar seus anúncios?

Aqui, a gente segue a máxima de ir até onde seu público está. Se você definiu sua persona como uma mulher de 29 anos, por exemplo, talvez o Instagram seja uma boa pedida: de acordo com as estatísticas do Instagram, 31% dos usuários brasileiros têm entre 25 e 34 anos, e 58,5% dos brasileiros na rede social são mulheres.

3. Crie anúncios claros e verdadeiros

Não cumprir o que foi prometido é um dos piores erros de um e-commerce na estratégia de tráfego pago. A propaganda enganosa é muito mal vista pelo público, que pode rejeitar sua marca e até mesmo colocar a boca no trombone na internet e nas redes sociais. 

Você não quer ficar com uma reputação ruim no mercado, não é mesmo? Por isso, confira se a página de destino realmente oferece ao usuário o que ele espera ao clicar no seu anúncio e fuja do tom apelativo, que é visto pelo público como enganoso.

Além disso, tenha sempre em mente o que você espera que o usuário faça com o anúncio: é preencher um cadastro, assistir um vídeo, efetuar uma compra…? Essa ação precisa estar bem clara para o usuário no anúncio e sem exageros, para que sua empresa alcance os objetivos esperados com a campanha.

📝 Domine a técnica de descrição de produtos: veja nosso guia de como criar descrições de produtos para unir os benefícios das palavras-chave, de mecanismos de busca (como o Google) e ainda usar o tom de voz certo para vender mais.

4. Escolha as palavras-chave certas

Foto que ilustra tráfego pago mostra uma pessoa, vista de cima, de frente para uma tela de computador. Na mesa, há diversos papéis com anotações, e a pessoa segura um marca-texto de cor rosa. Sobre a mesa, há também lápis, canetas e um smartphone.

Lembra que os anúncios recebem ranqueamento melhor através do processo de bidding? Pois bem, as plataformas de mídia paga avaliam a relevância do seu anúncio para cada palavra-chave escolhida e definem o quanto de destaque o anúncio vai receber.

Se você escolher uma palavra-chave ruim, seu ranqueamento vai lá para baixo e você vai ter mais dificuldade de alcançar os objetivos estabelecidos. Por isso, dê atenção especial à pesquisa de palavras-chave para garantir os melhores resultados.

5. Aproveite o tráfego pago como estratégia de remarketing

O tráfego pago é um grande aliado de quem quer investir em uma estratégia de remarketing. Basicamente, você configura a exibição de anúncios para clientes que já tiveram algum tipo de contato com sua marca, focando a sua campanha em clientes que estão mais perto da compra.

Pense, por exemplo, em um usuário que deixou um carrinho abandonado em sua loja. Com a ajuda de plataformas de tráfego pago, você consegue mostrar anúncios bem específicos para aquele usuário, lembrando-o de voltar e concluir a compra.

6. Estabeleça dias e horários específicos para os anúncios

Foto para texto sobre tráfego pago mostra um calendário em branco sobre uma mesa de madeira.

Se você não quer jogar dinheiro fora com anúncios que seu público não vai ver, é fundamental definir quando exatamente seu anúncio será exibido. Em que dias da semana e horários o seu público-alvo costuma estar online?

Você pode fazer alguns testes e avaliar os dias e horários em que seu anúncio recebe menos cliques. Essa informação vai ajudar você a decidir quando exibir e quando interromper o anúncio, realocando o investimento em tráfego pago para outros momentos em que o anúncio consiga atrair mais visualizações e cliques.

🗓 ️Que tal aliar seu tráfego pago ao marketing de conteúdo? Aprenda o passo a passo de como criar um calendário de conteúdo para as redes sociais capaz de impressionar e ampliar seu público-alvo e dar aquele up na sua estratégia de marketing de conteúdo.

7. Defina um orçamento máximo para sua campanha

A gente sabe como é difícil manter a contabilidade do seu e-commerce em dia, principalmente quando a empresa é pequena e conta com uma equipe mais enxuta. Por isso, planejamento é tudo!

Ao investir em tráfego pago, não deixe de estabelecer um orçamento máximo para ser empregado. Às vezes a gente se empolga com os resultados da mídia paga (ou fica nervoso com a falta de resultados) e acha que deve gastar ainda mais, mas isso não é verdade; o que você precisa é de uma estratégia bem feita.

Em vez de extrapolar o orçamento, pare para pensar nos anúncios que você colocou para rodar até agora. O que deu certo e o que deu errado? O que vale continuar fazendo e o que é melhor abandonar? Faça os ajustes necessários na sua estratégia para que a próxima campanha traga resultados ainda melhores, sem que sua empresa entre no vermelho.

Comece a atrair tráfego pago para seu e-commerce

Foto ilustrativa de tráfego pago mostra um quiosque de comida ao ar livre, visto de cima. Ao redor do balcão, há diversas pessoas aguardando serem atendidas. Dentro do quiosque, há três atendentes.

Viu como o tráfego pago pode ajudar sua empresa a vender mais? É uma forma de investir no seu negócio que ajuda a trazer mais visibilidade para a sua marca e, se feito com a estratégia certa, pode alavancar suas conversões.

Esperamos que você tenha tirado proveito desse nosso guia de tráfego pago para iniciantes. Se você nem sabia o que é tráfego pago e agora está prontíssimo para arregaçar as mangas e criar sua primeira campanha, nosso esforço com este artigo valeu a pena.

Vale lembrar também que o tráfego pago e o tráfego orgânico podem, sim, andar de mãos dadas nas suas estratégias de marketing digital. É possível gerar muitos leads com conteúdo. Se a sua empresa não tem como investir nisso agora, guarde essa ideia na cabeça para usar mais adiante, tá bom?

Tráfego pago: resumo

O que é tráfego pago? Trata-se dos visitantes que chegam até sua loja virtual ou seu perfil nas redes sociais por meio de anúncios. É diferente do tráfego orgânico, que chega até sua marca naturalmente, por meio de conteúdos que você publica sem necessariamente fazer investimento monetário (como posts em redes sociais e artigos em blog).

As principais vantagens do tráfego pago são: você consegue resultados mais rápidos, não precisa de conhecimentos profundos sobre marketing de conteúdo e SEO, pode criar campanhas com objetivos bem específicos e tem mais chances de converter mais no curto prazo.

Dentre as ferramentas de tráfego pago que existem no mundo do marketing digital, estas se destacam: Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads, Youtube Ads, LinkedIn Ads, TikTok Ads Manager e native ads.

Para ter sucesso com tráfego pago, separamos sete dicas para você: defina bem seu público-alvo, escolha as redes sociais onde seu público está, crie anúncios verdadeiros e claros, escolha suas palavras-chaves com cautela, use o tráfego pago como estratégia de remarketing, defina os dias e horários dos seus anúncios e estabeleça um orçamento limite para as campanhas. 

Perguntas frequentes sobre tráfego pago

O que é tráfego pago e orgânico?

O tráfego pago diz respeito aos visitantes que chegam até o seu e-commerce por meio de um anúncio, enquanto o tráfego orgânico corresponde aos usuários que interagem com sua marca por meio de conteúdo criado por você, sem que haja investimento financeiro para promovê-lo.

Como funciona o tráfego pago?

Você precisa escolher qual ferramenta de tráfego pago funciona melhor para o seu negócio. Em geral, a mídia paga é cobrada de duas formas: custo por clique ou custo por mil impressões. Quanto maior o valor investido, mais destaque seu anúncio ganha nas plataformas.

Tráfego pago vale a pena?

As principais vantagens do tráfego pago são: os resultados vêm mais rápido do que com o tráfego orgânico, você não precisa ter conhecimentos profundos sobre marketing de conteúdo ou SEO e, é claro, o tráfego pago pode aumentar bastante as conversões.

Onde fazer tráfego pago?

Você pode fazer tráfego pago em ferramentas de busca com a ajuda do Google Ads, em redes sociais com o Facebook Ads, Instagram Ads, YouTube Ads e por aí vai, e também em outros sites com a ajuda de plataformas de native ads, como Taboola e Outbrain.

Quer saber mais?


Which method is right for you?Sobre a autora

Bianca Saburi é copywriter, escritora e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil. Adora aprender mais sobre marketing e e-commerce, além de ser apaixonada por livros e cachorros.

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda

Quer abrir uma loja virtual?