Crie produtos melhores com mapas mentais

mapa mental

Uma boa experiência do usuário é essencial no moderno design de produtos. Quando um produto oferece pouca usabilidade ou não leva em consideração as necessidades dos usuários, rapidamente perde o público-alvo.

Um mapa mental é uma ferramenta essencial na caixa de ferramentas de designers de produto porque permite que as equipes de produto organizem e visualizem o conhecimento que têm sobre seus usuários, recursos do produto ou quaisquer outras ideias relacionadas ao design do produto.

Neste artigo, revisaremos o conceito de mapeamento mental, compartilharemos os motivos pelos quais os mapas mentais podem ajudar no processo de design, bem como, apresentaremos dicas práticas sobre como criar mapas mentais usando diferentes aplicativos recomendados.

O que é um mapa mental?

exemplo de mapa mental
Exemplo de mapa mental. Imagem: Vida de produto

Mapas mentais são uma representação visual de um sistema ou processo. A ferramenta é chamada de “mapa mental” porque tende a alavancar as tendências de nossa mente para entender um assunto fazendo associações. Normalmente, o processo de mapeamento mental começa quando redigimos uma afirmação sobre um problema e, depois disso, os profissionais de UX criam soluções que vêm à mente.

"Um mapa mental é um diagrama visual que ajuda as equipes de produto a organizar seus pensamentos de forma mais concreta."

Em sua forma mais pura, um mapa mental é um diagrama feito de palavras e linhas que os conectam. A palavra é usada para representar o objeto / sujeito, enquanto a linha representa a relação entre objetos / sujeitos. No contexto do design de produtos, os objetos podem ser a localização / tela do usuário, enquanto as linhas representam ações que os usuários podem realizar.

Existem três razões pelas quais o mapeamento mental é bom para o design de produtos.

1. Apresentar uma visão panorâmica da experiência do usuário

Quando designers criam uma experiência do usuário, é muito fácil se ater a pequenos detalhes e esquecer itens maiores, como o propósito do design. Em discussões como “Qual cor devemos usar para este botão?” ou “Qual ícone devemos escolher para esta opção?”, designers, muitas vezes, perdem o foco e se esquecem das pessoas que usarão o produto.

Ao contrário de ferramentas como protótipos e wireframes que ajudam as equipes de produto a se concentrarem na arquitetura da informação ou nas decisões de design visual, mapas mentais associados a técnicas, como investigação contextual são úteis para ajudar as equipes a manter o foco nas metas dos usuários finais.

Um mapa mental bem projetado é uma visão geral da experiência que uma equipe de produto vai oferecer ao usuário final. Essa visão geral ajuda os designers a acompanhar os aspectos mais importantes da interação (como o que usuários tentarão fazer ao usar um aplicativo).  

2. Criar uma representação visual das ideias

"Uma imagem vale mais que mil palavras."

Todos nós sabemos que comunicar ideias por meio de imagens é algo poderoso. Uma vez que os mapas mentais são representações visuais de relações entre objetos, facilitam que leitores entendam a ideia principal sem ler longos parágrafos de texto. Dessa forma, sua equipe pode se desenvolver mais rápido e simplificar associações entre ideias complexas.

3. Fácil de fazer

Enquanto o produto evolui, as coisas mudam rapidamente. O mapeamento mental como técnica é flexível, tornando os mapas mentais tão poderosos. Por exemplo: é mais rápido modificar um mapa mental que criar um novo fluxo de usuário.

Quando usar mapas mentais 

mapa mental: quando usar

Os mapas mentais podem ser usados durante todas as fases do processo de design de produto. Dito isso, apresentamos aqui alguns casos específicos em que os mapas mentais podem agregar valor.

1.Explicar um conceito

O mapeamento mental pode ajudar a alinhar uma equipe em torno de um conceito ou ideia particular. As equipes de produto podem usar essa ferramenta para apresentar ideias complexas, como representar tarefas específicas do usuário em um aplicativo.

Por exemplo, uma equipe que trabalha em um novo produto pode investir na visualização do fluxo da interação. Essa visualização servirá como base para a análise futura em que a equipe vê os relacionamentos entre objetos e padrões individuais.

Esse tipo de análise ajudará a equipe a entender melhor as ideias, além de avaliá-las e priorizá-las de acordo com sua relevância.

2. Preparar um documento para sua equipe

Os mapas mentais são muito rápidos de entender. Logo, essa característica os torna excelentes como referência para a equipe de produto. Um mapa mental pode descrever a lógica subjacente a um produto de maneira fácil de entender para que todos em sua equipe possam acompanhar.

O fato de que um mapa mental também pode ser um documento online o torna uma boa opção para documentação em tempo real. Um mapa mental pode atuar como um registro de todo o sistema. Para aproveitá-lo ao máximo, a equipe deve mantê-lo sempre atualizado durante a execução do projeto. 

3. Debater uma solução com sua equipe

O design é uma atividade de equipe. Ao projetar um produto, você precisa da opinião de muitas pessoas diferentes, não somente de designers e desenvolvedores.

Portanto, as pessoas envolvidas no design de produtos terão diferentes níveis de habilidades. Investir tempo para discutir ideias de produtos antes de criar soluções específicas pode resolver muitos problemas para as equipes de produto.

Como a criação de mapas mentais não requer nenhuma habilidade especial, todos podem participar dessa atividade. Os membros da equipe podem compartilhar pensamentos, sugestões, comentários e, por fim, criar os mapas mentais juntos. 

Como criar um mapa mental?

Mapas mentais são muito rápidos e fáceis de criar. Eles têm um formato hierárquico objetivo (normalmente, com base no modelo de árvore). Nesse modelo, há um elemento central usado como raiz e todos os outros objetos são conectados a ele por meio de ramos.

Os mapas mentais também são muito flexíveis por natureza e não existe um único processo certo para o mapeamento. Para este artigo, apresentaremos dicas práticas sobre como criar um mapa mental especificamente para o comportamento do usuário (as ações que usuários podem desempenhar ao interagir com um produto).

Esse mapa mental é construído a partir da perspectiva do usuário e pode ajudar você a entender os caminhos comuns que usuários percorrem ao usar seu produto e os obstáculos que enfrentam, bem como, ajudar na preparação de protótipos.

Aqui estão as instruções passo a passo sobre como criar um mapa mental especificamente para design de produtos.

1. Escolha qual estágio do produto mapear

Você está mapeando o estágio atual (como um produto funciona atualmente) ou o estágio futuro (como deseja que funcione no futuro)? Dependendo da resposta, você construirá seu mapa com base na hipótese do design (se estiver mapeando a experiência futura do produto) ou na pesquisa do usuário (se estiver mapeando a experiência atual). 

2. Liste as tarefas de usuário avançado

A primeira coisa a fazer é listar as tarefas que usuários podem realizar em seu produto e priorizá-las por importância. As tarefas mais importantes (tarefas que 99% dos usuários farão) devem estar no topo da sua lista e são ótimas candidatas para o mapeamento mental. 

Existe uma técnica simples que pode ajudar você a encontrar todos os cenários possíveis de uma interação. Use a técnica “Como usuário, quero [fazer algo]”. “Faça algo” que descreva a ação. Essa ação será uma candidata aos nós do seu mapa mental. Porém, lembre-se que você precisa se concentrar nas necessidades do usuário, não nos recursos do seu produto. Por exemplo, seu produto pode fornecer um recurso que diz: “Avalie nosso aplicativo”, mas, como usuário, provavelmente, você não acionará esse recurso com muita frequência. 

3. Comece com um tópico central

Um tópico central é um ponto central do mapa. É a primeira coisa que você precisa definir. O objeto central pode ser um recurso do produto sobre o qual você deseja aprender mais ou um problema específico a ser resolvido. Todos os outros objetos serão subtópicos desse ponto de partida.

4. Os nós do mapa mental devem se relacionar somente a um tema central

mapa mental: relação entre nós e subnós
Relacionamento das palavras-chave e o tema central em um mapa mental.

O conceito do modelo hierárquico implica que cada nó pode se dividir em subnós, que, por sua vez, podem se dividir em outros subnós. Embora não haja restrições sobre a profundidade da hierarquia de nós, é vital lembrar que um nó pode ter apenas um tema central. 

5. Aborde casos normais e extremos

Para tornar o mapa mais real, é necessário considerar tantos os caminhos em que as coisas funcionam bem para seus usuários quanto os caminhos em que as coisas não saem como planejado.

Geralmente, estágios com erro mal projetados causam muitas frustrações e levam ao abandono do produto.

Por outro lado, estágios com erro bem planejados podem transformar esses momentos de decepção em momentos de alegria.

Portanto, é vital considerar essas rotas em seu mapa mental e se preparar para criar uma cópia útil para ajudar usuários a resolver o problema.

💡 Dica de leitura: UX Writing não é só microcópia e redação

6. Não se limite

Não julgue suas ideias enquanto trabalha em um mapa mental. Sempre que tiver uma ideia, simplesmente coloque-a no mapa. Se perceber que algumas ideias não fazem sentido, você pode tirá-las do mapa depois. 

"Lembre-se que o processo de mapeamento deve ser divertido e flexível, não enfadonho e restritivo."

7. Destaque caminhos importantes

mapa mental: destaque de caminhos importantes
Destaque caminhos importantes em seu mapa mental usando cores contrastantes.

Enquanto desenha o mapa, tente pensar nos ramos mais importantes. Destaque-os usando cores contrastantes. Essa informação será útil na análise do mapeamento mental.

8. “Leia” o mapa mental

Mapas mentais bem projetados devem evocar uma história. Todas as pessoas devem ter facilidade para criar uma narrativa baseada no mapa. No momento em que terminar de trabalhar no mapa, teste-o - faça uma análise mental de seu mapa como se estivesse tentando usar o produto. Dessa forma, você entenderá se o mapa é legível ou não; e se você esqueceu de alguma coisa. 

Apps de mapa mental

Miro

mapa mental no Miro
Mapeamento mental feito no Miro

O Miro baseia-se na ideia de usar um quadro branco compartilhado no qual membros da equipe co-criam mapas em tempo real. É uma excelente ferramenta para organizar visualmente o pensamento das equipes. 

MindMeister

mapa mental no MindMeister
Exemplo de mapa mental criado no MindMeister

O MindMeister é outro aplicativo de mapeamento mental que oferece muita flexibilidade e permite que as equipes criem uma ampla variedade de cenários. O que torna este aplicativo ainda melhor é que alguns usuários do MindMeister criaram modelos prontos para usar.

Um excelente exemplo é um modelo de mapa mental para experiência do cliente (disponível em inglês) criado por Eugene Rudyy. Eugene usou um código de cores para distinguir diferentes tipos de objetos

  • Nós brancos representam telas / locais físicos
  • Os nós azuis mostram ações que podem ser realizadas nessa tela / local (por exemplo, a página do produto tem uma ação de compra)
  • Nós amarelos são usados para mostrar condições e cenários (se [algo é verdadeiro], então [algo]))

XMind

mapa mental no XMind
Exemplo de mapa mental criado no XMind

O XMind oferece uma interface minimalista e muito intuitiva. Os mapas criados nessa ferramenta podem ser exportados em vários formatos.

Como inserir o mapeamento mental no processo de design

Depois de ler sobre os benefícios de um mapa mental, bem como, dicas práticas sobre como criá-lo, você pode se perguntar como inserir o mapeamento mental em sua organização. Tenha em mente os três pontos a seguir.

1. Valorize o mapa

Assim como qualquer outra ferramenta que planeja usar durante o processo de design, os mapas mentais devem agregar valor à equipe de design. A grande vantagem dos mapas mentais é que são versáteis e podem ser usados para diferentes propósitos.

Por exemplo, Henrique Carvalho criou métodos de design UX em um formato de mapa mental. Os mapas criados por Mei podem servir de referência durante o processo de design de produto. 

mind map: design validation
O significado da validação de design no formato de um mapa mental. Imagem feita por Henrique Carvalho.

2. Mapa disponível com rapidez

Depois de finalizar o trabalho em um mapa, não o deixe apenas no servidor de nuvem da sua empresa. Divulgue o mapa para a equipe, seja por e-mail ou por outro canal de comunicação que você use com seus colegas de trabalho. Ao fazer isso, você tornará o mapa mais visível e aumentará as chances de seus colegas de equipe o usarem durante o processo de design.

“Depois de finalizar o trabalho em um mapa, não o deixe parado no servidor de nuvem da sua empresa.”

3. Mencione os mapas mentais durante as discussões de design

Sempre que alguém de sua equipe fizer uma pergunta sobre design de produto, use o mapa para respondê-la. Os mapas mentais são bastante úteis durante as decisões sobre estratégia de produto uma vez que podem permitir que todos tenham uma visão geral da experiência do produto. 

Crie produtos melhores com mapas mentais

Um mapa mental é uma ferramenta útil quando se trata de otimizar a experiência do usuário, pois nos ajuda a criar uma representação visual de nosso modelo mental.

Os mapas mentais nos ajudam a mudar o foco dos detalhes visuais ou técnicos para o propósito de um produto que projetamos. E quando as equipes de produto se concentram no que os usuários estão tentando fazer com o produto, avaliam cada decisão individual de design no contexto do valor que a decisão agrega para as pessoas que usarão o produto.

No final das contas, o valor agregado ao usuário final é o que realmente importa.

Perguntas frequentes sobre como criar mapa mental

Para que servem os mapas mentais?

Um mapa mental é uma ferramenta essencial na caixa de ferramentas de designers de produto porque permite que as equipes organizem e visualizem o conhecimento que têm sobre seus usuários, recursos do produto ou quaisquer outras ideias relacionadas ao design.

Dicas para fazer um mapa mental

Essas são apenas algumas dicas: escolha qual estágio do produto mapear, liste as tarefas de usuário avançado, comece com um tópico central e aborde casos normais e extremos.

Como funciona design de produtos?

Quando os designers criam uma experiência do usuário, é muito fácil se ater a pequenos detalhes e esquecer itens maiores. Em discussões como “Qual cor devemos usar para este botão?”, muitas vezes os designers perdem o foco e se esquecem das pessoas que usarão o produto. Ao contrário de outras ferramentas, os mapas mentais são úteis para ajudar as equipes a manter o foco nas metas dos usuários finais.

Como criar um mapa mental online?

Existem diversos aplicativos de mapas mentais disponíveis. Os mais famosos são Miro, MindMeister e XMind. Também é possível elaborar um mapa mental no Word.

Which method is right for you?Sobre a autora

Carolina Walliter é escritora, tradutora, intérprete de conferências e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil.

Post original em inglês: Nick Babich

Tradução e localização: Rane Souza

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda

Tópicos: