Blogs da Shopify

Compensações de carbono: o que são e como selecionamos projetos?

Shopify's Carbon Offsets Strategy

No momento, o entendimento sobre compensações de carbono é confuso. No atual esforço para combater as mudanças climáticas, as compensações de carbono se tornaram conhecidas e polêmicas.

Recentemente, a Shopify lançou opções para que lojistas e clientes façam compensações das emissões de carbono relacionadas às entregas de pedidos:

  • Offset: aplicativo da Shopify que permite que os lojistas optem por compensar as remessas de todas as entregas.
  • Shop: para cada pedido feito por meio do Shop Pay, a Shopify compensará todas as emissões de entrega.

Mas, o que, exatamente, são compensações de carbono? Como funcionam e como sabemos se são eficazes? Este artigo apresenta um panorama da estratégia de compensação de carbono da Shopify e como selecionamos nossos projetos de compensação de carbono.

O que são as compensações de carbono?

Imagine que você fez uma bagunça, digamos, derramou uma lata de tinta no chão, e não sabe como limpar a tinta ou não quer ter esse trabalhão. Então, em vez de limpar a bagunça por conta própria, você paga a alguém para limpar a bagunça causada por uma lata de tinta diferente derramada em outro lugar ou para evitar que outra lata de tinta seja derramada.

A tinta que você derramou ainda está lá. Porém, o número total de latas de tinta derramadas no mundo é o mesmo de antes de você ter derramado a sua. É assim que as compensações de carbono se relacionam com as emissões de dióxido de carbono (CO2) que liberamos na atmosfera.

A boa notícia é que esta é uma analogia grosseira. No cenário de lata de tinta, você ainda estaria tentando evitar a tinta derramada e nunca veria o benefício da limpeza remota. Tirar carbono da atmosfera, porém, é diferente, porque é benéfico para todo o planeta, independentemente, de onde a retirada de carbono aconteça no mundo.

Pessoas, empresas e governos podem calcular quanto carbono emitiram a partir da vida cotidiana e operações de negócios e, em seguida, pagar para capturar ou evitar emissões dessa quantidade de CO2.

As compensações são vendidas por tonelada métrica de CO2 e a faixa de variação de preço é enorme, de alguns dólares por tonelada métrica a centenas de dólares. Tudo depende do tamanho do projeto de compensação, da tecnologia usada e do país onde é implementado.

As compensações de carbono não são uma solução perfeita, mas são uma ferramenta necessária.

Provavelmente, você já ouviu críticas às compensações de carbono, como:

  • “Apenas absolvem as pessoas da culpa e não restringem realmente o comportamento causador de emissões.”
  • “É difícil validar e quantificar o impacto de uma compensação de carbono.”
  • “Existem 'maus agentes' que exploram o sistema, criando mais emissões de gases de efeito estufa com o único propósito de ganhar dinheiro com a redução das emissões”.
  • “Há uma ampla gama de preços para várias compensações de carbono, mas muitos deles são muito caros (tornando-os uma opção inviável) ou muito baratos (podem realmente fazer algo bom por um preço tão baixo?).”

As compensações não são uma solução perfeita, mas são uma ferramenta necessária, principalmente até que sejam desenvolvidas tecnologias melhores para mitigar as emissões.

A Shopify adotou as compensações de carbono como uma tática que faz parte de uma estratégia mais ampla:

  1. Reduzir as emissões diretas tanto quanto possível.
  2. Compensar todas as emissões restantes.

Em outras palavras, as compensações não são um substituto para a adoção de medidas para reduzir nossa pegada de carbono: são um último recurso para compensar as emissões que não podemos evitar atualmente.

As operações de negócios e plataforma da Shopify são neutras em carbono. Tomamos medidas para reduzir nossas emissões criando escritórios verdes e tendo em mente nossa pegada de carbono, mas também pagamos para compensar nossas emissões relacionadas ao fornecimento de energia aos nossos escritórios, data centers, pessoas e viagens de negócios.

No entanto, nossa responsabilidade vai além disso. Os aplicativos Shop e Offset nos permitem oferecer compensações de carbono para lojistas e compradores em nossa plataforma. Essa é a mágica de ser uma empresa de plataforma: podemos alcançar mais de um milhão de lojistas em todo o mundo que usam a Shopify e as centenas de milhões de consumidores que compram deles.

O lado negativo disso é que nossa plataforma viabiliza muitas emissões de carbono relacionadas às entregas de pedidos enviados para todo o mundo.

Impacto do comércio nas emissões de carbono

No ano passado, os lojistas da Shopify enviaram 1,1 bilhão de encomendas que percorreram mais de um trilhão de quilômetros. Um trilhão. Pense nessa distância. Você provavelmente não consegue imaginar essa distância, pois trata-se de um número muito grande. Para cobrir essa distância seria necessário dar 25 milhões de voltas ao redor da Terra; ou ir e voltar cem vezes do sol até o planeta mais distante do nosso sistema solar, Netuno.

No ano passado, os comerciantes da Shopify enviaram 1,1 bilhão de encomendas que percorreram mais de um trilhão de quilômetros.

Uma observação importante aqui: não temos certeza da distância que uma encomenda comum percorre, mas escolhemos uma estimativa conservadora de 1.000 quilômetros por encomenda para nossos cálculos.

Apesar dessas longas viagens, atualmente, a cadeia de abastecimento global é tão eficiente que uma encomenda que percorre cerca de 2.000 quilômetros, de São Paulo a Aracaju, emite uma quantidade de carbono similar a dirigir três quilômetros em um carro popular. Mesmo assim, não há como ignorar a enorme distância de um trilhão de quilômetros e a quantidade de carbono emitida ao longo do caminho.

Para cada encomenda enviada, cerca de um quilo de carbono é emitido na atmosfera. Esse cálculo não é preciso, mas nossa equipe de dados chegou a essa estimativa com base em fatores como a distância média percorrida, o método de envio e o peso da encomenda.

O que isso significa? Um quilograma de carbono equivale a deixar uma lâmpada de 43 watts acesa por um dia e meio. Quando você associa isso à nossa escala, temos um problema. Mais de um bilhão de remessas mantendo mais de um bilhão de lâmpadas acesas por ano.

Mais de um bilhão de remessas mantendo mais de um bilhão de lâmpadas acessas por ano

Estamos cientes dessas externalidades negativas e estamos agindo para compensá-las.

Como escolhemos nossa provedora de compensação de carbono?

Existem tantos tipos diferentes de compensação de carbono disponíveis que adotam variados tipos de métodos e tecnologias diferentes. É uma avalanche de informação!

As compensações de carbono podem incluir projetos que armazenam carbono em reservatórios de longo prazo, como árvores, solo ou pântanos. Elas podem estar relacionadas a projetos que reduzem as emissões de locais, como aterros, fazendas ou fábricas. E podem ser projetos tão obscuros que é difícil entendê-los.

Sabíamos que precisávamos trabalhar com uma empresa que atendesse muitos de nossos objetivos, mas, antes de mais nada, sabíamos que essa empresa precisaria levar alguns princípios-chave em consideração:

Princípios da Shopify para escolher compensações de carbono
  • Adicionalidade: a compensação de carbono precisa levar a uma redução das emissões de CO2 que não teria acontecido de outra forma. Logo, não faríamos qualquer investimento em parques nacionais que já estão protegidos, por exemplo.
  • Permanência: não pode ser uma solução de curto prazo. O carbono capturado e representado em compensações precisa ser armazenado para sempre ou por longos períodos de tempo.
  • Sem contagem dupla: as compensações de carbono são uma ação única. Seu impacto não pode ser registrado duas vezes.
  • Monitoramento e verificação: boas compensações precisam realmente cumprir a função esperada. Além disso, essa função deve ser passível de verificação.
  • Escalabilidade: queríamos investir em projetos que tivessem a capacidade de ter expansão em escala e receber resultados rapidamente, sem depender de processos manuais que tomam muito tempo e consomem muitos recursos.

Além desses critérios, porém, queríamos uma solução alinhada com a missão de nossa empresa. Acreditamos que os problemas podem ser resolvidos com a tecnologia, que o empreendedorismo é uma das melhores formas de autoexpressão e que não há melhor pessoa para administrar uma empresa que alguém verdadeiramente apaixonado pelo que faz. Tudo isso pode paracer banal, mas não é.

Nossa equipe usou essa perspectiva para avaliar muitas empresas diferentes que são bem-sucedidas. Ainda estamos analisando muitas dessas empresas, mas, por fim, a Shopify escolheu a Pachama para fornecer compensações de carbono aos nossos aplicativos Shop e Offset.

Queríamos uma solução alinhada com a missão de nossa empresa.

Nossa escolha tem vários motivos; o mais importante deles foi a maneira pela qual a Pachama usa a tecnologia para compensar carbono de maneira diferente, maximizando a quantidade de dinheiro que está sendo efetivamente investido em seus projetos de compensação de carbono.

Existem alguns fatores que podem ser considerados sinais de alerta em relação a essa escolha: a Pachama é uma equipe de dez pessoas, é uma startup.

Além disso, no momento, a Pachama é nossa única fornecedora de compensação para os aplicativos Offset e Shop. Muitos nos dariam o sábio conselho de diversificar nossas compensações (vem coisa boa por aí...!).

Porém, a Pachama se destacou como uma empresa empreendedora e voltada à tecnologia. O fato de a equipe ser pequena significa que a Pachama é ágil e que cada pessoa está na equipe por um motivo.

💡 Você sabia que a Shopify adotou o trabalho remoto para sempre? Entenda aqui o que essa decisão tem a ver com sustentabilidade.

A história da Pachama

O CEO da Pachama, Diego Saez-Gil, nasceu no norte da Argentina, na base da floresta amazônica. Cresceu cercado por árvores e montanhas. Depois de se formar na universidade, ele se mudou para os Estados Unidos e decidiu ser empresário.

Abriu duas empresas. A primeira era um aplicativo de reserva em hostels, uma ferramenta que gostaria de ter tido à mão quando era mochileiro, e que acabou vendendo para o Flight Center. A seguir foi a Bluesmart, que produzia malas rastreáveis por GPS, uma ideia que teve depois que perdeu bagagem cheia de presentes para a família e amigos.

Curiosidade: depois de uma rodada de financiamento coletivo para iniciar essa empresa, Diego abriu uma loja na Shopify para vender as malas.

Quando as explosões de telefones da Samsung levaram a restrições de baterias de íon de lítio em aviões, as malas movidas a bateria criadas por Diego foram impedidas de voar. Foi um momento difícil, mas ele vendeu o IP da empresa para a Travelpro e decidiu que era hora de enfrentar um novo desafio.

Pachama é uma forma abreviada de Pachamama, a deusa da Terra.

O Diego tirou um sabático e acabou embarcando em uma viagem de carro com seus dois irmãos, dirigindo pela floresta tropical de sua casa na Argentina até o Peru. Ele diz que conhecer a Amazônia foi incrível, mas que ficou com o coração partido ao ver o desmatamento acontecendo em suas fronteiras, com ecossistemas inteiros desaparecendo. Foi aí que ele teve a ideia para seu próximo projeto.

Ao pesquisar, aprendeu que as florestas em pé respiram e contêm 30% de todas as emissões humanas anuais de CO2  e, mesmo assim, nós ainda estamos derrubamos árvores. Com sua experiência profissional, ele decidiu usar a tecnologia para ajudar a resolver esse problema.

Diego escolheu o nome Pachama como uma forma abreviada de Pachamama, a deusa da Terra adorada pelos povos indígenas da Argentina. Esses povos acreditam que a Terra está viva e que precisamos honrá-la e protegê-la.

Pachama: tecnologia para maximizar as compensações de carbono

Historicamente, medir árvores para compensações de carbono com base no florestamento é uma tarefa completamente manual: é preciso enviar pessoas para a floresta para colher amostras de parcelas, contar as árvores, medi-las com fita adesiva e validar a quantidade de carbono realmente existente naquela floresta. Trata-se de um processo caro, lento e passível de erros.

Além disso, uma empresa faria isso apenas uma vez a cada cinco anos ou mais para se qualificar para a certificação, portanto, as informações ficam desatualizadas quase imediatamente. O processo de certificação de verificação manual pode custar centenas de milhares de dólares devido a toda a força de trabalho humana necessária.

Enquanto isso, hoje temos uma infinidade de satélites tirando fotos quase constantes da Terra. Temos aprendizado de máquina e inteligência artificial que podem ajudar a processar todas essas imagens, desenvolvendo algoritmos para fazer previsões sobre a quantidade de carbono em uma determinada área.

Existem também tecnologias como detecção e alcance de luz (LIDAR, na sigla em inglês), que varrem um ambiente tridimensionalmente, disparando feixes de laser para medir distâncias. Além disso, não podemos nos esquecer dos drones que agora podem voar distâncias muito longas.

A Pachama usa vários tipos de tecnologia para fazer com que seu processo de verificação de compensações de carbono seja mais eficiente.

“Nosso objetivo era reunir todas essas tecnologias já desenvolvidas e usá-las a serviço de tornar essa indústria mais eficiente, mais transparente e mais confiável”, diz Diego.

É este o diferencial que nos interessa: empreendedores entusiasmados que usam tecnologias de ponta de maneiras inovadoras para resolver problemas enormes que nunca foram superados.

Em vez de apoiar apenas um projeto de florestamento, a Pachama está implementando uma abordagem de "colcha de retalhos", construindo um mercado de vários projetos em todo o mundo que os clientes podem escolher.

É este o diferencial que nos interessa: empreendedores entusiasmados que usam tecnologias de ponta para resolver problemas que nunca foram superados.

“Estamos construindo uma plataforma online. Da mesma forma que a Shopify está democratizando o e-commerce, queremos democratizar a maneira como silvicultores e agricultores podem acessar empresas e pessoas que cada vez mais terão demanda para compensar suas emissões de carbono. Essa é a única maneira de fomentar o crescimento em escala”, diz Diego.

O objetivo da Pachama é que milhares de novos projetos de proteção florestal surjam em todo o planeta e que a empresa seja um elo que conecte mais pessoas a essas iniciativas.

A Pachama usa a tecnologia LIDAR para calcular a densidade da biomassa nas florestas protegidas por seus projetos.

Foto: Pachama. A empresa usa o LIDAR para calcular a densidade da biomassa nas florestas protegidas por seus projetos.

As árvores não são a solução perfeita. Elas podem ser queimadas, derrubadas ou infestadas por pragas. Há muito espaço para erro ao calcular o número total de árvores em uma área protegida. Há até estudos mostrando que as florestas estão perdendo capacidade de absorver carbono por causa de secas e temperaturas mais altas.

Contudo, não há como negar que manter nossas florestas existentes e acrescentar mais árvores é bom para o nosso planeta. Elas oferecem apoio a fazendeiros e proprietários de terras em todo o mundo e garantem que todas as criaturas dentro desses territórios possam ter um lar.

A anatomia da compensação de carbono

Até o momento, escolhemos dois projetos de florestamento com a Pachama, um para nosso aplicativo Offset e outro para o aplicativo Shop.

Os lojistas que usam nosso app Offset estarão investindo no Projeto de Conservação da Floresta Jari Pará na floresta amazônica. Esse projeto cobre 496.988 hectares de floresta tropical no Brasil, uma área pouco inferior ao tamanho do estado da Bahia, resultando na proteção de mais de 2.400 espécies da flora e da fauna daquela região.

Se você fizer uma compra usando o Shop Pay, a Shopify compensará o envio de sua encomenda através do Projeto de Conservação de Florestas de Concessão de Castanha-do-Pará, que protege mais de 291.566 hectares de floresta tropical no Peru e evitará 14,5 milhões de toneladas de emissões de CO2. Esse projeto é composto por 143 parcelas de terras operadas por 377 produtores de castanha-do-pará.

Ambos os projetos são certificados pelo Verified Carbon Standard, que serão monitorados pela Pachama usando sua aprendizagem de máquina, imagens de satélite e tecnologia de monitoramento remoto. Nosso preço por tonelada cobre os custos do projeto para proteger a floresta existente, aumentar a biomassa por meio de práticas aprimoradas de manejo florestal e verificar o andamento do projeto. No entanto, queremos detalhar os gastos aqui para vocês.

Trocando em miúdos: a Pachama é uma empresa. Para cada dólar americano que a Shopify investe na Pachama, 20 centavos de dólar americano são destinados à Pachama para cobrir sua comissão e 80 centavos de dólar americano vão diretamente para os projetos de florestamento, mais especificamente para as pessoas que têm terras e estão protegendo as árvores.

A comissão da Pachama sore cada dólar americano destinado para a compensação de carbono

Os 20% da Pachama são divididos entre vários custos, como:

  • Pagamento por imagens de satélite e dados (fornecidos pela Planet e Maxar).
  • Verificação inicial da qualidade dos projetos e posterior monitoramento contínuo.
  • Pesquisa e desenvolvimento: a Pachama tem uma equipe de PhDs, cientistas de dados e engenheiros que trabalham para refinar os processos mencionados acima e desenvolver novas tecnologias para medir a biomassa de carbono de áreas florestais.
  • Criar páginas de impacto personalizadas.
  • Pessoal.

Os 80% restantes são alocados para projetos discriminados caso a caso.

Por exemplo, apresentamos uma análise dos custos operacionais anuais de um projeto anônimo:

Detalhamento do custo operacional de um projeto de florestação

A receita gerada por um projeto como esse depende do seu tamanho, de quantos créditos ele decide (ou pode) vender e do preço que cobra. Há um grande custo inicial para lançar e verificar qualquer projeto, bem como taxas substanciais de monitoramento contínuo.

Uma grande proporção do lucro retido pelo desenvolvedor do projeto é reservada para verificação e auditoria periódica de terceiros (que varia significativamente dependendo do tamanho e localização do projeto) e o restante é dividido entre o desenvolvedor do projeto e os proprietários de terras.

Por que proteger as florestas existentes em vez de plantar novas árvores?

A resposta simples é: ambas as ações são essenciais e estamos fazendo as duas.

Há grande impulso global para estimular o plantio de árvores, como a iniciativa Trillion Trees e o nosso compromisso de plantar 1.000.001 árvores, firmado por Tobi Lütke, diretor executivo da Shopify.

A despeito disso, é extremamente importante proteger as florestas antigas também. Árvores novas demoram anos para desenvolver seus poderes de absorção de carbono; florestas maduras já estão fazendo isso.

Além disso, as florestas amazônicas existentes abrigam 10% das espécies conhecidas do mundo (com mais de 2,5 milhões de espécies de insetos, por exemplo) e 40 mil plantas diferentes muitas das quais são a base de medicamentos farmacêuticos essenciais. Preservar esses ecossistemas e apoiar as comunidades locais que os protegem também são excelentes consequências da conservação de árvores existentes.

Infelizmente, a derrubada ilegal de madeira na floresta tropical resulta em desmatamento a uma taxa de três campos de futebol por minuto – já perdemos cerca de 17% de toda a floresta, e projetos como esses buscam retardar e evitar essa perda.

As compensações de carbono não são a solução definitiva

As compensações de carbono por si só não resolverão o problema do aquecimento global. É pouco provável que isso aconteça.

Não estamos salvando o planeta ao investir nessas estratégias: estamos apenas reduzindo a quantidade total de carbono emitida e, se mais pessoas fizessem isso também, seria mais fácil atingir nossos objetivos climáticos.

Há um bilhão de hectares de terra no planeta Terra onde podemos plantar árvores sem afetar a agricultura. Isso permitiria o plantio de 1,2 trilhão de árvores que, de acordo com um estudo desenvolvido na Suíça (e disponível aqui), poderiam capturar mais de 200 gigatoneladas de carbono da atmosfera, eliminando uma década dos danos que já causamos.

Não é o suficiente, mas é um começo. Continuaremos a compensar o que não podemos eliminar e continuaremos investindo em outras soluções para descobrir o que funciona melhor.

Fique ligado no blog para saber mais sobre o Fundo Shopify para a Sustentabilidade e as tecnologias voltadas para cuidar do meio ambiente nas quais investimos.

Illustração de Borja Bonaque

Which method is right for you?Sobre a autora

Carolina Walliter é escritora, tradutora, intérprete de conferências e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil.

Post original em inglês: Courtney Symons

Tradução e localização: Rane Souza

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda

Tópicos: