Dá para viver só de arte? Um guia para artistas que querem empreender

Dá para viver só de arte? Um guia para artistas que querem empreender: ilustração de artista pintando quadro

Quando me formei na faculdade de Belas Artes há 15 anos, eu dominava todas as técnicas e as teorias de pintura – mas não sabia nada sobre gestão de empresas e muito menos sobre como vender arte on-line.

Foi durante a graduação que realizei um projeto de um ano de duração, no qual era necessário criar um portfólio virtual; não era uma loja de e-commerce, mas sim uma página com algumas amostras do meu trabalho e minhas informações de contato.

Durante as primeiras semanas no mundo adulto dos graduados, aprendi uma dura lição: para ser bem-sucedida no mundo das artes, não basta ser uma boa artista. É necessário também ser uma empreendedora de sucesso. E logo ficou claro que o meu simplório site em Flash não daria conta desse recado.

Para ser bem-sucedida no mundo das artes, não basta ser uma boa artista. É necessário também ser uma empreendedora de sucesso.

É claro que, naquela época, as plataformas de e-commerce não eram tão acessíveis como são hoje, e as redes sociais simplesmente não existiam. Para uma artista desconhecida como eu, o caminho para o sucesso tomava a forma de trabalhos esporádicos de publicidade para outras empresas.

No entanto, a possibilidade de vender a minha própria arte on-line mudou completamente o jogo.

Atualmente, aquela velha imagem do artista vivendo em miséria está ficando no passado, até porque o e-commerce e as redes sociais se tornaram canais extremamente úteis para aqueles artistas que buscam financiamento para seus projetos. Além disso, é por meio desses novos canais virtuais que nós, artistas, podemos criar e vender a nossa própria arte diretamente para os nossos públicos-alvo.

Essa modernização também foi proveitosa para as galerias de arte. Hoje, os curadores podem não só representar um número muito maior de artistas, como também ampliar as tiragens de seus produtos para alcançar um público ainda maior.

Guia completo sobre fotografia de produtos

Aprenda a tirar fotos incríveis dos seus produtos mesmo com um orçamento apertado.

Como vender arte na internet?

Como vender arte na internet?

Quando comecei a cogitar a possibilidade de vender minha arte pela internet, decidi entrar em contato com dois conhecidos – uma artista e um curador – que estavam usando a plataforma da Shopify para comercializar seus projetos autorais.

Essa dupla – Maria Qamar, também conhecida como Hatecopy, e Ken Harman, curador do império artístico Spoke Art – conseguiu construir uma carreira de sucesso vendendo suas artes e trabalhos originais on-line. Por isso mesmo, alguns conselhos que eles me deram lá atrás vão aparecer ao longo do post.

Mas, embora as histórias da Maria e do Ken sejam incrivelmente inspiradoras, este post também vai mostrar alguns exemplos de lojas e marcas brasileiras que estão trilhando um caminho de sucesso no mundo das artes.

Vamos começar?

1. Defina seus objetivos antes de começar

Nada melhor do que começar um guia sobre como vender arte on-line pela parte mais básica do processo, né?

Antes de correr para abrir uma loja virtual, você precisa primeiro definir:

  • Se você é artista, está trabalhando na sua arte em tempo integral? Ou ainda é um passatempo? Como você pretende equilibrar essas duas demandas?
  • Você quer vender apenas a sua arte ou quer vender também a arte de outros artistas que admira?
  • Já decidiu se vai vender apenas artes originais ou também vai trabalhar com reproduções?

A seguir, explicamos cada um desses pontos em detalhes.

Arte: passatempo ou trabalho em tempo integral?

Arte: passatempo ou trabalho em tempo integral? fotografia de um copo com pinceis de pintura

Hoje em dia, é comum que novos artistas consigam encontrar espaço nas redes sociais, acumulando um alto número de seguidores e compartilhando fotos e vídeos de seus trabalhos. Afinal, é dessa maneira que eles se relacionam com comunidades virtuais compostas por outros artistas e por fãs interessados.

A Maria, por exemplo, decidiu seguir o sonho de se tornar uma artista em tempo integral depois de ser demitida do seu emprego na área de publicidade. Contudo, o sucesso não veio da noite para o dia. Enquanto ela trabalhava para aumentar seu número de seguidores no Instagram, precisou fazer alguns bicos para conseguir pagar as contas.

“O começo é sempre mais difícil. No meu caso, eu não estava ganhando dinheiro algum com a minha arte. Por isso, fazia bicos aqui e ali.” – Maria

No entanto, largar tudo para o alto e começar do zero também é uma opção. O Ken, por exemplo, se viu obrigado a assinar um contrato de aluguel de dois anos para firmar seu sonho de montar uma galeria. Essa aposta arriscada fez com que ele abandonasse seu emprego fixo de garçom poucos meses depois.

"Em 2010, eu fiz a curadoria para uma exibição de um artista australiano. Ele me enviou vários dos seus quadros e eu aluguei um local temporariamente, mas, duas semanas antes da inauguração, o local que eu havia alugado fechou as portas. Comecei a procurar desesperadamente por um local disponível – e foi aí que achei um espaço abandonado, que costumava ser uma loja. Era o lugar perfeito para a exposição, mas o dono do imóvel queria um contrato a longo prazo. Eu não tinha outra opção. Assinei.” – Ken.

💡 DICA: você pode aproveitar para fazer novos contatos e cursos de profissionalização enquanto ainda tem emprego fixo, e criar sua empresa nas horas livres. Se você conseguir um número considerável de apoiadores, vale a pena pensar em fazer um crowdfunding para tirar seu negócio do papel.

Vender sua própria arte ou vender projetos de outros artistas?

É possível que você não tenha o talento necessário para ser artista, mas ainda assim queira fazer parte desse mundo. Não tem problema: você pode atuar como um curador(a) ou marchand, vendendo o trabalho de outros profissionais. Afinal, é muito comum que artistas confiem o aspecto mais mercadológico da profissão a agentes, galerias, curadores e outros.

Você pode, por exemplo, vender obras originais ou impressões, ou mesmo negociar os direitos autorais para que o trabalho original de um artista seja reproduzido em outros produtos. Nesses casos, o artista ganhará um valor fixo de acordo com o número de trabalhos vendidos.

Devo vender arte original ou reproduções?

Devo vender arte original ou reproduções? fotografia de pessoa fazendo desenhos na mesa

Não há como negar que projetos como esculturas serão mais difíceis de reproduzir ou usar em outros produtos (no entanto, há a possibilidade de usar uma impressora 3D ou então de firmar uma parceria com um fabricante de miniaturas e brinquedos).

Contudo, a maioria dos meios tradicionais de divulgação e fabricação conta com várias opções para a geração de vendas ilimitadas de um único produto.

Veja abaixo algumas das principais opções:

  • Artes exclusivas;
  • Tiragens limitadas, telas ou coleções exclusivas do tipo giclée (com moldura ou sem);
  • Downloads digitais, como papeis de parede, vídeos, imagens, frases inspiradoras etc.;
  • Encomendas personalizadas, como trabalhos originais em papel ou em arquivos digitais;
  • Produtos como bonés, canecas, camisetas, pins esmaltados e outros;
  • Reprodução de estampas em camisetas, almofadas e canecas;
  • Licenciamento do seu trabalho para que ele possa ser vendido em outras lojas;
  • Colaborações com outros artistas e marchands.

2. Como vender arte on-line: plataforma compartilhada ou loja virtual própria

Depois de definir como você quer trabalhar, é hora de arregaçar as mangas e começar a tirar os projetos da gaveta.

Se você optar por trabalhar em parceria com outros sites e lojas que já vendem trabalhos de artistas, é hora de começar a fazer uma pesquisa de mercado para ver quais sites oferecem os melhores incentivos.

Se, por outro lado, você quiser trabalhar com uma loja própria, é hora de criar o seu site. Na Shopify, você ainda ganha um período de avaliação gratuita de 14 dias – é só preencher os campos aqui embaixo!


Você tem uma ideia de negócios?

Comece o seu teste grátis de 14 dias da Shopify hoje mesmo, sem precisar de cartão de crédito!

Quando chegar a hora de escolher o template da sua loja virtual, lembre-se de que é importante usar um que deixe a sua arte se sobressair – nesse sentido, um modelo com grandes espaços para imagens e com fundos em tons mais claros é ideal para destacar as fotos.

Também pode ser interessante buscar alguns apps para ajudar na parte de gestão e processamento; assim, você terá mais tempo livre para se concentrar no aspecto criativo da loja.

Sugestões de templates da Shopify para lojas de arte:

Apps que podem ajudar a administrar uma loja de arte:

Se você vende a sua arte no formato de estampas e outros produtos, apps como o Gooten e o Printful podem ser aliados extremamente úteis: basta sincronizá-los com a sua loja e deixar que eles cuidem do processo de envio.

Também recomendamos outros apps, como o Lookbook ou o Photo Gallery, para exibir trabalhos que estão esgotados e alertar os clientes e visitantes da loja sobre novidades e reposições de estoque.

💡 DICA: Você pode usar as variantes da Shopify para indicar não apenas os tamanhos disponíveis de uma gravura ou impressão, mas também as opções de acabamento ou molduras disponíveis. As variantes podem ser editadas de modo a refletir preços exclusivos para cada público.

3. Processamento e logística

Se você optar por montar seu próprio site para vender arte na internet, só montar um site com a Shopify não é o suficiente: você também vai precisar definir algumas coisas mais práticas, como o tipo de fotografia de produto que você vai utilizar, o método e a forma de envio da sua arte para os clientes, formas de pagamento e muito mais.

A seguir, desembaralhamos os fios de algumas dessas áreas.

Como fotografar e digitalizar arte

Como fotografar e digitalizar arte: mulher segurando câmera

No fim das contas, não importa o tipo de produto que você está vendendo; o que importa é você saber fotografar e anunciar esses itens de maneira clara e precisa.

A fotografia de produto é um dos pilares do design de qualquer e-commerce, justamente porque os clientes de lojas virtuais não podem experimentar os produtos. Quanto mais claras e detalhadas forem as imagens, portanto, melhor será o desempenho do seu site (e maiores serão as chances de vendas).

“A verdade é que a imagem é tudo, especialmente quando o assunto é vender arte on-line. Se você projetar uma imagem ruim do seu trabalho, ela não representará bem a sua marca, e você terá dificuldades para conseguir vender.” – Ken

Não há dúvidas de que, de todos os produtos disponíveis no mercado, as obras de arte são umas das mais difíceis de serem fotografadas. Se você possuir artes tridimensionais ou de grande porte, recomendamos a contratação de um serviço profissional de fotografias

Edições limitadas e edições contínuas

Edições limitadas e edições contínuas: como vender arte online

Qualquer artista sabe que colocar sua arte em uma camiseta, caneca ou capinha de celular implica em uma grande popularização daquele trabalho. No entanto, algumas galerias como a Spoke optaram por um modelo de edição limitada ao reproduzirem os trabalhos de seus artistas.

Essa estratégia de vendas gera um efeito similar ao de uma oferta por tempo limitado, uma vez que cria uma sensação de escassez e urgência nos clientes – além de ser uma excelente tática de marketing. Contudo, Ken acredita que as edições limitadas também são relevantes por um outro motivo:

"Nós damos duro para encontrar artes e projetos especiais – e coisas especiais merecem um tratamento diferenciado. Por mais que os lucros sejam maiores com edições contínuas, as edições limitadas ajudam a aumentar o valor das peças e obras”.

Mas as edições limitadas também têm seus pontos fracos.

“Várias obras que vendemos em nossas galerias são comercializadas por outros valores em outros mercados. É possível encontrar algumas delas sendo vendidas em sites como o Ebay ou o Mercado Livre – e por valores bem mais altos do que o original. Isso ocorre justamente porque a demanda é muito alta, mas é bastante desencorajador: no final do dia, parece que estamos perdendo clientes.” – Ken

Para remediar essa situação, a Spoke decidiu limitar o número de encomendas por cliente – e colocou os clientes desonestos em uma lista negra.

“A nossa prioridade é fazer com que os admiradores dessas obras possam comprá-las.” – Ken

Impressões e impressoras

O Brasil conta com várias empresas extremamente competentes na área de impressão de alta qualidade. Além disso, é possível disponibilizar algumas impressões já emolduradas – algo que pode ser útil para reduzir os custos se você também estiver responsável pela fabricação das molduras.

Contudo, é importante lembrar que esse processo não é muito sustentável, e também não funciona em grandes escalas.

Se você quiser evitar o cansaço e o trabalho dobrado de assumir tudo por conta própria, vale a pena entrar em contato com uma empresa especializada em impressões de obras de arte. Esse tipo de serviço permite imprimir produtos em grandes quantidades e por preços interessantes, e pode ser um bom aliado caso você esteja planejando cuidar do envio dos produtos ou então vender a sua arte em locais físicos.

Veja abaixo alguns exemplos de empresas que imprimem obras de arte:

Como embalar e enviar sua arte

Como embalar e enviar sua arte: parede com quadros variados

Se você decidiu controlar totalmente o processo de preparação e envio da sua arte, é importante redobrar a atenção.

Impressões e pôsteres, por exemplo, devem ser enviados em tubos de papelão; as impressões de pequeno porte, por outro lado, podem ser despachadas em envelopes de papelão. Não se esqueça de usar o papel do tipo glassine (resistente à água e gordura) ou então papel celofane transparente para proteger a sua arte.

As obras emolduradas, por sua vez, requerem precauções adicionais. Se você pretende enviar obras dessa natureza, vale a pena visitar:

  • Este post do Rastrear Objetos, que conta com um guia bastante detalhado sobre como empacotar produtos frágeis;
  • Este post da Elo7, que também mostra um passo a passo sobre o envio de produtos artesanais (o post também conta com um eBook gratuito da plataforma);
  • O tutorial simples e direto da wikiHow.

"Há várias dicas e truques que ajudam a reduzir os custos do processo de envio. Por exemplo, enviar uma tela esticada (do modo como ela é exibida) é algo muito caro, especialmente no caso de telas muito grandes – então muitas vezes nós enrolamos a tela em um tubo na hora do envio. Isso reduz substancialmente o custo e não danifica a obra.” – Ken

Outras dicas importantes para quem quer vender arte na internet:

  • Faça um seguro para as obras

Lembre-se de fazer um seguro que cubra o envio de obras de arte originais, uma vez que elas não poderão ser substituídas com facilidade caso o pacote seja danificado.

Ainda que algumas seguradoras e transportadoras ofereçam seguro contra possíveis roubos e danos, é bom analisar as letras miúdas desses contratos para saber as limitações desses serviços.

  • Plágio e direitos autorais

Ninguém quer ter que resolver um problema desses, mas infelizmente o plágio acontece – e todo e qualquer artista que queira vender arte on-line estará sujeito a isso.

Lembre-se de que, se você for vítima de plágio, você pode e deve tomar medidas legais sempre que julgar necessário. Nessas situações, aconselhamos que você entre em contato com um(a) advogado(a) para proteger os seus direitos autorais o mais rápido possível.

dicas importantes para quem quer vender arte na internet: parede com diversos patros de porcelana

12 lojas brasileiras que vendem arte on-line

Bom, não dava para falar sobre como vender arte na internet sem mostrar alguns exemplos brasileiros, né?

As 12 lojas listadas a seguir vêm construindo uma trajetória de sucesso dentro do e-commerce, e cada uma delas conseguiu encontrar um nicho próprio: algumas vendem artes autorais; outras funcionam como plataformas que reúnem o trabalho de diversos artistas independentes.

O que é legal de observar, também, é o fato de que embora algumas lojas vendam quadros e ilustrações – o formato que imediatamente vem à mente quando pensamos em “arte” – muitas das lojas que estão aqui na lista vendem outros tipos de arte.

Vamos conferir?

Artes variadas e itens de decoração

1. Emoldura

A Emoldura é um dos maiores e-commerces de fotografia e arte do Brasil. Além de oferecer molduras sob medida (num esquema “monte sua própria moldura”), kits de molduras e compras por atacado, a loja também trabalha com artes exclusivas de artistas brasileiros e oferece soluções personalizadas para quem está tentando dar uma nova vida para aquelas fotografias velhas de família.

Dá uma olhada no “Quem somos” da marca:

Queremos transformar as suas fotos esquecidas no computador em quadros, pois acreditamos que emoldurar momentos especiais da vida permite que eles sejam lembrados todos os dias.

Por isso, criamos uma loja virtual de molduras, através de uma tecnologia inédita no Brasil, para que você possa escolher a moldura, o tamanho, subir sua foto e visualizar como será o resultado final do seu quadro de maneira rápida e simples, além da possibilidade de já receber o quadro com a foto impressa, prontinho.

como vender arte na internet: site da Emoldura

2. Papel na Parede

A Papel na Parede é um exemplo bem legal de como “vender arte pela internet” nem sempre é sinônimo de “vender quadros”.

A loja conta com mais de 4 mil opções de estampas altamente elegantes, criativas e exclusivas de papel de parede – e mostra que às vezes a casa inteira pode ser uma obra de arte.

vender arte online: Papel na Parede

3. Design Up Living

A Design Up Living também é um exemplo bem interessante de como dá para variar bastante na hora de vender arte on-line: o e-commerce vende desde quadros e ilustrações até itens de decoração, tapetes, almofadas e itens para jardim e varanda. Tudo, claro, com designs de tirar o fôlego.

vender arte on-line: site da Design Up Living

Maternidade e crianças

4. Coisas da Doris

A Coisas da Doris é uma loja especializada em vender arte on-line dentro dos nichos de maternidade e recém-nascidos. No site da marca, você encontra desde papeis de parede até tapetes, acessórios para cozinha e outros artigos de decoração que prometem deixar qualquer casa mais aconchegante.

vender arte na internet: site da Casa da Doris

5. Modali Baby

Outro exemplo do nicho de maternidade e recém-nascidos é a Modali Baby, que conta com dezenas de itens e artigos de decoração que são de tirar o fôlego. O catálogo de produtos da loja inclui kits com quadros, brinquedotecas e nichos de madeira, balanços, ganchos e móveis variados – uma arte mais linda do que a outra!

vender arte on-line: site da Modali Baby

6. Beabá

A Beabá se destaca não só por vender arte na internet, mas sobretudo pela mensagem e pela proposta da marca, que é combater o câncer infantil – e informar crianças e adultos sobre a doença.

Se você quiser conhecer mais sobre a iniciativa da marca, é só clicar aqui.

como vender arte on-line: site da Beabá

Iniciativas independentes

7. Panólatras

O Panólatras é um exemplo de sucesso quando o assunto é vender arte na internet. Especializada na venda de panos dos mais diversos tipos, a marca funciona também como um espaço para designers e produtores independentes divulgarem seus trabalhos.

Dá só uma conferida no “Quem somos” da loja:

O Panólatras é uma loja de tecidos online que comercializa estampas exclusivas, em pequenas quantidades, nos mais diversos tipos de tecido.

Contamos com um acervo de estampas exclusivas assinado de forma colaborativa por uma rede de artistas e designers independentes, cada um ao seu estilo.

E nós também produzimos tecidos com estampas de quem não é um designer colaborador mas quer um produto só seu.

como vender arte na internet: Panólatras

8. Awt Shop

A Awt Shop é um espaço que vende artes autorais, roupas customizadas e prints em tiragem limitada – e trabalha apenas com artistas independentes.

Além dos produtos de altíssima qualidade, o site da loja também é uma aula de elegância.

 Awt Shop: como vender arte na internet

Papelaria

9. Macchiato

A Macchiato é uma papelaria com muita história para contar – e com muita arte para mostrar: contabilizando três gerações de profissionais gráficos, a marca comercializa cadernos de altíssima qualidade e com um visual exclusivo.

como vender arte on-line: site da Macchiato

10. Ilustralle

A Ilustrale é, literalmente, uma empresa de uma mulher só especializada em cadernos, blocos e acessórios com um design totalmente autoral.

Tudo começou com o entusiasmo da fundadora da marca por bullet journals; hoje, é uma loja que oferece produtos de altíssima qualidade para todo o Brasil.

 como vender on-line: Ilustralle

11. Caderno Inteligente

A Caderno Inteligente é uma daquelas histórias que a gente ama contar – até porque a marca conseguiu revolucionar o nicho de papelaria no mercado brasileiro.

Seus cadernos discbound, também conhecidos como cadernos de discos, permitem uma maleabilidade maior por parte do cliente: dá para tirar uma folha, acrescentar outras e ir criando um caderno com um número cada vez maior de folhas – o sonho de quem ama escrever à mão, não é mesmo?

 site da Caderno Inteligente

Plantas e decoração

12. Yes, We Grow

A Yes, We Grow tem uma mensagem simples e urgente: levar mais verde para as cidades grandes.

Com kits completos que facilitam a vida até de quem nunca plantou uma mudinha sequer, os produtos da marca ainda vêm acompanhados de smartpots elegantes e exclusivos.

yes, we grow: site da loja

Ou seja: dá para vender arte on-line e ainda assim contribuir com o meio ambiente!

Lugar de artista (também) é no empreendedorismo

Lugar de artista (também) é no empreendedorismo

Se você quiser ser um(a) artista de sucesso, precisará lançar obras e produtos todo mês ou adotar uma periodicidade mais constante – essa é, afinal, a maneira mais segura de manter seus fãs e clientes.

A Maria acredita que, para fazer isso, é necessário ter inspiração:

“A melhor coisa é ver o mundo com outros olhos. Assim, você criará novas opiniões sobre uma variedade de coisas. Eu adoro levar alguém que não é muito fã de arte para conhecer uma galeria, já que no fundo cada pessoa olha para a arte de uma maneira diferente. Também vou a todas as exposições que posso – o contato com outros artistas ajuda a abrir os olhos para outras perspectivas. Isso tudo fará com que você repense seu próprio ponto de vista.”

No fim das contas, todos os artistas possuem uma alma empreendedora; aceitar os aspectos logísticos da profissão é, portanto, essencial para o sucesso.

“Você até pode saber tudo sobre empreendedorismo e não conhecer nada de arte, mas é a combinação desses dois que traz o sucesso para uma loja, para um artista ou para uma marca. É por isso que eu sou obcecada por esse ofício. A criação é o equilíbrio, a harmonia necessária entre criatividade e empreendedorismo.” – Maria

Ilustração de Pete Ryan

Perguntas frequentes sobre como vender arte na internet

Dá para ganhar dinheiro vendendo arte on-line?

Sim! O início nem sempre é fácil, mas existem diversos caminhos disponíveis para vender arte na internet. Você pode optar por vender apenas seus trabalhos autorais, ou então vender projetos de outros artistas; vender exclusivamente artes originais ou trabalhar com reproduções; vender designs exclusivos que serão utilizados como estampas ou então criar apenas artes exclusivas com tiragens limitadas.

Como posso vender arte na internet?

Você pode trabalhar em parceria com outros sites e lojas que já vendem trabalhos de artistas, ou então criar sua própria loja virtual para vender arte on-line. Se você optar por abrir uma loja na Shopify, vai poder contar com o apoio de apps bem legais como o Lookbook, o Printful e o Gooten.

Como embalar e enviar minha arte?

Impressões e pôsteres podem devem ser enviados em tubos de papelão; as impressões de pequeno porte, no entanto, devem ser despachadas em envelopes de papelão. Não se esqueça de usar o papel do tipo glassine (resistente à água e gordura) ou então papel celofane transparente para proteger a sua arte. Com obras emolduradas, vale a pena entrar em contato com os Correios ou com a transportadora escolhida para avaliar as opções de envio. Não se esqueça de fazer um seguro que cubra o envio de obras de arte originais, uma vez que elas não poderão ser substituídas com facilidade caso o pacote seja danificado.

Onde posso imprimir as artes que estou vendendo na internet?

O Brasil conta com várias empresas extremamente competentes na área de impressão de alta qualidade, então vale a pena entrar em contato com uma empresa especializada em impressões de obras de arte. Esse tipo de serviço permite imprimir produtos em grandes quantidades e por preços interessantes, e pode ser um bom aliado caso você esteja planejando cuidar do envio dos produtos ou então vender a sua arte em locais físicos.

Como montar uma loja de relógios on-line?

Assim como qualquer outra loja on-line, é importante escolher o que você quer vender. Sua ideia é vender um único produto, ou trabalhar com vários itens diferentes? Se você está pensando em vender um único produto, como relógios, é importante garantir que esse item seja de alta qualidade e possa proporcionar uma experiência única aos clientes.

Which method is right for you?Sobre a autora

Carolina Walliter é escritora, tradutora, intérprete de conferências e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil.

Post original em inglês: Dayna Winter

Tradução e localização: Marcela Lanius

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda