Quer abrir uma loja virtual?

Montada na beleza: como abrir uma loja de maquiagem online?

Como abrir uma loja de maquiagem online? Ilustração de mulher com pincel de maquiagem

Eu preciso comprar um rímel novo. E, por mais que eu tenha as minhas marcas favoritas, atualmente nenhuma delas tem um rímel que me agrade.

A verdade é que eu não sei nem por onde começar a procurar: só a rede de farmácias mais próxima da minha casa vende mais de 200 marcas de produtos de maquiagem; a Sephora revende outras 250 opções de máscaras para cílios; e a Ruby Rose tem um catálogo de cair o queixo. O resultado? 

Eu, cliente, tenho muitas opções. Tantas que nem consigo escolher!

Para empreendedoras e empreendedores que querem entrar no mercado dos produtos de beleza, essa saturação de marcas é ainda mais perigosa.

Afinal, será que existe espaço no mercado para mais um primer ou outro batom? Como é que você, que vem gerenciando uma pequena marca de cosméticos, vai conseguir colocar seus produtos no mercado? Como anunciar e lucrar com um novo rímel ou batom matte em um mercado com centenas de produtos iguais?

A verdade é que existe espaço no mercado. Mas, para isso, é necessário um pouquinho de planejamento, um pouquinho de organização e um pouquinho de sagacidade também.

Neste post, vamos conversar sobre como construir um negócio virtual de cosméticos no setor de skincare e beauty. Também vamos falar sobre algumas estratégias de marketing para aumentar o volume de vendas e compartilhar algumas dicas para otimizar o site de sua loja.

E uma dica bônus: também vamos conversar sobre estratégias de preço para os produtos. Sabe aqueles preços do tipo R$ 39,90 ou R$ 12,90? Então, é sobre esses 90 centavos que vamos falar.

Vem conferir!

Começando pelo início: o que vender no nicho de beleza?

Ilustração: três mulheres experimentando produtos de cosméticos e skincare

Antes de abrir uma loja e definir como vender, você precisa escolher o que quer vender. Afinal de contas, o setor de cosméticos é imenso ― e é um dos que mais cresce no Brasil, registrando um crescimento de 5,8% no ano de 2020.

A escolha do produto que você quer vender é algo crucial, pois vai orientar o tipo de marca que você vai construir. Isso significa, por exemplo, escolher se você quer construir um e-commerce especializado na revenda de maquiagens de outras marcas ou então uma loja virtual com cosméticos de fabricação própria.

Uma boa forma de começar esse processo é definindo um plano de ação com base nas perguntas abaixo:

  • Você quer uma marca que oferece uma nova solução/um novo produto? Ou uma marca cujo diferencial é a forma como se relaciona com os clientes?
  • Existe alguma demanda que não está sendo atendida pelo mercado de maquiagens?
  • Você já identificou o público-alvo para o qual quer vender?
  • Esse público está sendo contemplado por outras marcas?
  • Você identificou uma nova tendência do mercado? Vale a pena investir nessa tendência?
  • Você está tentando criar uma nova experiência para um produto já estabelecido no mercado (por exemplo, uma nova experiência para quem compra máscara para cílios)? Se sim, como a marca fará isso?
  • Qual é o diferencial de seu produto frente a tantos outros que já existem no mercado?

Uma dica para responder às perguntas acima: oriente a pesquisa e o olhar para as tendências e para os mercados de nicho.


Tendências do mercado de beleza

Uma boa forma de validar uma ideia de produto é estudar e verificar as tendências do momento.

Vamos supor que seu objetivo é entrar no setor de cosméticos veganos com um produto exclusivo, como um creme hidratante com base de ervas.

Nesse caso, o primeiro passo é fazer uma visitinha ao Google Trends e verificar se há interesse nesse produto. Como o Trends mostra o que as pessoas estão pesquisando na internet, você vai ter uma ideia um pouco mais detalhada dos termos que as pessoas estão buscando (o que vai ajudar bastante lá na frente, na hora de elaborar o SEO do blog e do site da marca) e dos produtos que estão em alta.

Mas e se você ainda não tiver nem ideia do tipo de produto que quer vender? Se esse for o seu caso, a nossa sugestão é mergulhar de cabeça no mundo dos cosméticos e maquiagens:

  • Faça uma lista com influenciadoras, marcas, blogueiras e canais relevantes.
  • Visite lojas conhecidas para averiguar a faixa de preço dos itens (será que batons de qualidade costumam ser vendidos por valores a partir de R$ 12,90? Ou será que a faixa dos R$ 21,90 é mais popular?).
  • Assine newsletters e listas de e-mail para ficar por dentro de todas as novidades.
  • Acompanhe as redes sociais para avaliar o tipo de conteúdo que é mais popular, e o tipo de estratégia que algumas das marcas mais conhecidas do mercado utilizam.

📰 Leitura recomendada: Como acertar na mosca e encontrar o melhor produto para vender

Mercados de nicho

Trabalhar com mercado de nicho é uma opção estratégica quando falamos de setores muito movimentados e concorridos como o de cosméticos. Por isso mesmo, pode ser uma boa ideia direcionar seus serviços para uma clientela com necessidades específicas ou interesses delimitados.

Dá só uma olhada nas ideias abaixo:

  • A conscientização mundial acerca do bem-estar dos animais e o interesse crescente em produtos naturais e sem componentes químicos têm contribuído para o sucesso de marcas veganas, orgânicas e que não fazem testes em animais. Essa onda vem crescendo no Brasil, e a Terral Natural, por exemplo, é uma loja de cremes hidratantes e sabonetes que trabalha apenas com ingredientes naturais, extraídos de forma ética e sustentável.
  • A B.O.B é um excelente exemplo de como levar a mensagem da marca a um novo patamar: além da pegada sustentável, a loja também tem um clube de assinatura mensal de produtos que pode ser ajustado conforme as preferências de cada cliente.
  • Você também pode seguir o exemplo da Hela Beauty e projetar as embalagens de produto com um design clean e minimalista. Isso pode ajudar a posicionar a loja como uma marca bem exclusiva e nichada.
  • Uma marca de cosméticos não precisa vender apenas cosméticos: a be.Oil, por exemplo, vende diversos produtos para quem fabrica e vende cosméticos, como frascos, etiquetas, bases vegetais e muito mais.

Buscando inspiração? Dá uma conferida no vídeo abaixo, onde o CEO da Sobrebarba fala sobre a história e a trajetória da marca. Para quem não sabe, a Sobrebarba é um verdadeiro império de produtos para barbudos:

Formatos de negócio: fazer em casa, mandar fabricar ou revender?

Como vender maquiagem: ilustração com potes e embalagens de produtos de beleza

Depois de decidir o que você quer vender em seu e-commerce, é hora de definir como fabricar o produto. 

Você pode trabalhar com ao menos três opções diferentes:

Fazer em casa

Fazer cosméticos em casa é uma opção viável para quem está começando um negócio do zero e ainda não tem dinheiro (e nem tempo) para investir em uma operação de grande porte.

Nesse modelo de negócios, você pode vender itens como batons, óleos essenciais, sais de banho e até mesmo velas aromáticas. Só não se esqueça de testar e documentar todo o processo de fabricação, pois você precisará estabelecer uma fórmula padronizada que garanta uma consistência entre os lotes dos produtos.

Atenção: Por mais que a fábrica acabe sendo o balcão de sua cozinha nesse formato de negócio, é importante seguir as regulamentações e diretrizes do setor. Confira a Biblioteca de Cosméticos da Anvisa para ficar a par das práticas recomendadas.

Mandar fabricar (usar um white label)

Nesse formato de negócios, você trabalhará com fornecedores que ficarão responsáveis pela fabricação de cosméticos. Ou seja: você não precisará investir em uma linha de montagem própria, mas precisará sim investir em um parceiro de negócios confiável.

No mundo dos cosméticos, esses fornecedores são conhecidos como fabricantes sem marca, ou white label. Eles confeccionam produtos que podem ou não ser personalizados com a adição de cores ou fragrâncias ― e que são, em seguida, comercializados por uma marca. Muitos também são responsáveis por customizar as embalagens de acordo com a identidade visual da marca final.

Vale lembrar que esse modelo nada mais é do que uma terceirização da fabricação de cosméticos ― algo que, aliás, vem crescendo bastante no Brasil. Se você optar por esse caminho, dê uma conferida na lista abaixo, com alguns fornecedores que já oferecem esse tipo de serviço para e-commerces brasileiros:

Revender cosméticos

Outra opção é eliminar a etapa de manufatura e revender produtos de outras marcas. 

O mais legal é que, nesse caso, você pode criar uma experiência de compra totalmente exclusiva, oferecendo produtos com curadoria exclusiva. A Men’s Market, um dos maiores e-commerces de cosméticos para homens, se especializou em revender produtos de outras lojas, e faz isso muito bem com o clube de assinatura da marca:

Captura de tela da loja Men's Market, que oferece serviços de clube de assinatura

Você também pode vender marcas locais, ou produtos cosméticos para um certo tipo de pele. A IÚ Cosmetics, por exemplo, se especializou na revenda de cosméticos veganos, naturais e orgânicos:

 Captura de tela do site da IÚ Cosmetics

Como vender maquiagem online?

Ilustração de três mulheres aplicando produtos de skincare após o banho

Para vender online, você vai precisar abrir um site de e-commerce isto é, caso ainda não tenha um. Aqui na Shopify, você pode se cadastrar e aproveitar o período de avaliação gratuita de 14 dias para decidir se a nossa plataforma é mesmo a melhor opção para você (esperamos que sim!).

Além de criar sua própria loja, também é importante ajustar e definir alguns outros elementos e canais de vendas:

Configurações específicas do site da loja

Você já deve saber que as descrições de produto são extremamente importantes para uma loja virtual de maquiagem: elas não só contribuem para o SEO da loja, como também fornecem informações incrivelmente valiosas e ajudam na experiência de compra dos clientes. 

No caso das descrições de produto para cosméticos, recomendamos utilizar o espaço principal para descrever a textura, o modo de aplicação e a utilização correta do produto.

💄 Dica: Para dar uma cara ainda mais profissional às páginas de produto, utilize imagens discretas e de alta resolução em um plano de fundo de cor clara.

Em termos de navegação no site, vale adotar uma abordagem como a da Simple Organic, que customiza toda a jornada de compra do consumidor ou consumidora com um menu personalizado onde é possível selecionar o tipo de pele. Assim, o visitante verá logo de cara apenas os produtos recomendados:

captura de tela do site da Simple Organic, que orienta o processo de compra

Canais de vendas

Além do site da loja, você pode (e deve) investir em outros canais e espaços que possam atrair visitantes e possíveis clientes até os seus produtos.

Para uma loja de cosméticos, pode ser uma boa estratégia investir em um blog exclusivo da marca e apostar na criação de conteúdos exclusivos, que referenciam os produtos da loja e ainda por cima agregam conhecimento e/ou relatos de consumidores.

Uma loja que faz isso com muito sucesso é a Bisyou, que transformou o blog da marca em um espaço que dá dicas sobre tratamentos, tira dúvidas sobre temas em alta dentro do nicho de maquiagens e também traz relatos de suas clientes:

Blog da marca Bisyou

Outra opção é experimentar canais como newsletter e WhatsApp, que possivelmente ajudarão a reforçar os laços entre a comunidade de consumidores e a loja de maquiagem.

A Biossance, queridinha do mundo de cosméticos e skincare, oferece uma proposta bem legal para quem assina a newsletter da marca: além de 10% de desconto na primeira compra, a marca aproveita o momento para destacar um recurso exclusivo: uma consultoria grátis com especialistas da marca.

A melhor parte? A consultoria acontece por WhatsApp!

captura de e-mail da Biossance

Quer saber mais sobre como aplicar a fórmula do “deixe seu e-mail” ou “cadastre seu e-mail” de maneira inovadora? Aqui vai uma dica:

📰 Leitura recomendada: Shopify Email: faça a identidade da sua marca brilhar com e-mail marketing

Sacola de compras e checkout

Um elemento que merece atenção especial em lojas especializadas no mercado de beleza é o processo de checkout, que lida com a famosa sacola ou carrinho de compras.

Sabe por quê?

Simples: pode ser meio intimidante chegar numa loja de maquiagem, seja ela online ou virtual. E conseguir escolher o tom ou a cor certa de um produto pode ser um processo bem complicado para muita gente.

Por isso, quanto mais acessível for a marca e o site da loja, maiores as chances de o visitante continuar a experiência de compra.

A Sallve, por exemplo, sugere itens no carrinho antes mesmo do cliente fazer um pedido. Isso otimiza o processo de descoberta e mostra algumas categorias de produto em destaque (e também pode ser uma boa estratégia para destacar os itens mais vendidos ou as promoções do momento):

carrinho de compras da marca Sallve

Outra estratégia bem legal para a sacola de compras é oferecer a possibilidade de frete gratuito (ou um prazo de entrega mais competitivo). 

Quer ver como isso ficaria na prática? Dá uma olhada na estratégia da Simple Organic, que avisa sobre a possibilidade de entrega grátis logo na homepage da loja. O banner em rosa avisa o valor acima do qual a entrega é grátis: 

captura de tela de marca de cosméticos

E a sacola? Ainda melhor: ela vai marcando o valor que falta para completar a compra com entrega grátis:

frete grátis no carrinho da Simple Organic

A B.O.B, por outro lado, tem uma abordagem parecida, mas um pouquinho diferente. 

A loja indica na sacola de compras quanto falta para o cliente ganhar um brinde exclusivo, e lá embaixo indica os prazos de entrega disponíveis de acordo com o CEP.

carrinho de compras da BOB

Dica importante: Aproveite para configurar as formas de pagamento aceitas na loja. Além de considerar os métodos tradicionais de cartão de crédito, e boleto bancário, pode ser uma boa ideia adotar métodos mais práticos e instantâneos como o Pix e o WhatsApp Pay.

E, para tornar os valores dos itens mais atrativos, considere marcar seus preços com formatos do tipo abaixo:

  • R$ 39,90
  • R$ 12,90
  • R$ 19,90
  • R$ 29,90
  • R$ 32,90
  • R$ 21,90

Não entendeu? A gente explica: o nome desse truque é “psicologia do preço”, uma estratégia de precificação e marketing que concentra o olhar do cliente no primeiro valor. R$ 39,90, afinal, está na casa dos R$ 30,00, e não dos R$ 40,00; o mesmo vale para R$ 29,90 e todos os outros valores listados acima.

Parece uma estratégia boba, mas pode trazer um ótimo retorno em termos de lucro e vendas.

Exemplo da Bisyou, que aplica a psicologia do preço em seus produtos.

Você também pode usar essa estratégia na hora de formular seus anúncios de publicidade, inserindo mensagens como “batons a partir de R$ 12,90”. Legal, né? 

E não se esqueça de habilitar a possibilidade de pagamento via cartão sem juros, ok? Não tem nada pior para um cliente com a sacola cheia de compras do que ver a mensagem de “2x de R$ 75,00 com juros”.

📰 Leitura recomendada: Vale a pena aceitar o Pix em sua loja?

Já demos a base; agora é com você!

Maquiagem existe aos montes; produtos de skincare também. Por isso, é importante entrar nesse setor com os dois pés bem firmes no chão e com uma boa estratégia de vendas para posicionar a marca como uma solução exclusiva e inovadora.

Aqui na Shopify, você vai encontrar dezenas de temas exclusivos, apps de ponta e recursos feitos sob medida para garantir a saúde de seu negócio online.

Vem com a gente?

Ilustração de capa: Pete Ryan

Ilustrações do post: Freepik

Perguntas frequentes sobre vender maquiagem

Como abrir uma loja virtual de maquiagem?

A primeira coisa é definir o tipo de maquiagem ou produto de skincare que você quer vender; depois, é necessário identificar o público-alvo desses produtos e começar a definir aquilo que vai tornar sua marca diferente das outras: a origem dos produtos? A mensagem da marca? Os valores?
O terceiro passo é decidir se você quer revender produtos de terceiros (uma excelente oportunidade para oferecer serviços de curadoria) ou fabricar seus próprios produtos. O quarto passo? Escolher uma plataforma de e-commerce para construir sua loja. Não se esqueça de organizar seu CNPJ e verificar se sua documentação está em dia.

Quais formas de pagamento posso aceitar?

Para tornar seu negócio mais atraente, considere trabalhar com formas de pagamento populares e práticas como boleto bancário, Pix, WhatsApp Pay e cartão de crédito (se possível, ofereça parcelamentos sem juros). Não se esqueça de que o cálculo do frete também entra na conta na hora de definir o preço dos itens que você vai vender.

Vender maquiagem é um bom negócio?

A indústria de cosméticos é uma das maiores do Brasil, e tudo indica que ainda há muito espaço para o desenvolvimento de novos negócios, especialmente no mundo do e-commerce. Para além de itens de maquiagem, considere os nichos de skincare, produtos veganos e outros que despertem um interesse especial nos consumidores.

O que não pode faltar em uma loja de maquiagem?

Um bom canal de atendimento ao cliente. As pessoas que acessam o site da loja precisam saber que há um bom serviço de atendimento disponível; portanto, aproveite o espaço para fornecer experiências capazes de incentivar a experiência de compra, como provadores virtuais e serviços personalizados de consultoria.

Which method is right for you?Sobre a autora

Carolina Walliter é escritora, tradutora, intérprete de conferências e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil.

Post original em inglês: Dayna Winter

Tradução e localização: Marcela Lanius

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda