Como ser um empreendedor de sucesso?

Imagem estilizada de carta de reis, com ferramentas de trabalho

Muitos de nós têm o sonho de ter um negócio próprio. Queremos ter controle criativo, um horário flexível e a liberdade que o empreendedorismo oferece. 

No entanto, há muito trabalho envolvido nos bastidores, e muito dele tem a ver com planejamento, estratégia e dedicação à execução. Se você sempre quis trilhar esse caminho, mas não sabe bem o que fazer para colocar seu sonho em prática e ser um empreendedor de sucesso, criamos este guia para ser seu ponto de partida.

Afinal, o que é ser um empreendedor?

Infelizmente, existem muitos estereótipos envolvendo a ideia de como devem ser os empreendedores de sucesso, o que pode fazer com que muita gente não considere essa uma possibilidade viável para si. Mas não se deixe enganar: não existe idade, gênero, classe socioeconômica nem etnia que definam o que é ser um empreendedor. Confira o que o Sebrae tem a dizer sobre isso:

Ser empreendedor significa ser um realizador, que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação.
Homem de braços cruzados com avental na frente de araras de roupasFoto: Burst

Ou seja, a figura do homem jovem branco que cria uma empresa na garagem dos pais está longe de ser a regra para ser bem-sucedido: a realidade é bem mais diversa. E, no Brasil, não poderia ser diferente. Segundo o Data Sebrae, a maioria dos empreendedores brasileiros têm entre 35 e 45 anos e ensino médio completo. Embora a participação feminina ainda não se equipare à masculina devido a desigualdades históricas, o número de mulheres empreendedoras cresce a cada ano.  

O que podemos notar é que o significado de empreendedorismo e do que é ser um empreendedor de sucesso tem evoluído (ainda bem), resultado provável de dois aspectos:

  1. Graças à tecnologia, as barreiras de entrada estão cada vez menores para começar a empreender.
  2. Há muito mais caminhos para começar um negócio hoje do que jamais houve.

Como a tecnologia mudou o empreendedorismo

Uma pesquisa com os leitores da Inc.com realizada em 2015 revelou que as maiores barreiras que os aspirantes a empreendedores observam são:

  • “Não acho que consigo levantar mais recursos.” (48%)
  • “Não tenho ideias.” (40%)
  • “Estou desanimado com a alta taxa de fracasso das empresas.” (22%)
  • “Não tenho as habilidades necessárias.” (21%)
  • “Fico preocupado com o equilíbrio entre trabalho e família.” (18%)
  • “Estou preocupado com impostos e regulamentos.” (17%)
  • “As barreiras competitivas são muito grandes.” (13%)
  • “Não acho que consigo contratar pessoas com as habilidades de que preciso.” (7%)

Porém, muitos desses motivos são aquilo que podemos chamar de “receios herdados” em torno do empreendedorismo: desconfianças ultrapassadas que envolvem o desconhecimento da tecnologia e das plataformas que nos permitem iniciar e executar planos de maneiras que antes eram impossíveis.

Evolução da tecnologia a favor do empreendedorismo

Nos últimos 20 anos, acompanhamos o surgimento de programas, ferramentas e plataformas que lidaram com os medos e pontos fracos associados ao lançamento e à administração de novas empresas. Sem falar nas oportunidades possibilitadas pelas redes sociais e mecanismos de busca.

Linha do tempo

Como a tecnologia capacitou os empreendedores:

  • O Quickbooks tornou a contabilidade mais acessível às pequenas empresas.
  • O Alibaba facilitou a busca de fornecedores parceiros para produtos que você pode vender.
  • A Shopify simplificou o lançamento e administração de empresas que comercializam qualquer tipo de produto online, sem que sejam necessárias habilidades de programação.
  • O Dropbox permitiu o compartilhamento de arquivos, para uma colaboração melhor e mais segura.
  • O Kickstarter popularizou o conceito de financiamento coletivo de ideias, reduzindo a barreira financeira para a execução. No Brasil, o Catarse tem sido bastante usado para viabilizar projetos.
  • O Buffer agilizou a forma como você programa conteúdo nas redes sociais em múltiplos perfis.
  • O Fiverr criou um mercado de talentos e recursos humanos.
  • O Zapier permitiu a integração de tecnologias para automatizar fluxos de trabalho sem a necessidade de desenvolvedores.
  • O Canva permitiu que qualquer pessoa criasse os elementos visuais necessários para uma grande variedade de situações.
  • O Kit criou um “funcionário virtual” para cuidar de parte das dificuldades de se gerenciar um negócio.

Essas empresas, criadas por empreendedores que capacitam o empreendedorismo, criaram um mundo em que uma empresa não precisa mais estar ligada a um edifício em particular: muitas delas são iniciadas e administradas a partir de casa, em um laptop ou dentro de uma cafeteria, ou até mesmo pelo celular.

Mulher segura telefone celular na altura dos olhosFoto: Burst

Como as pessoas viram empreendedores de sucesso hoje

Considerando que o “empreendedorismo de meio período” é mais comum atualmente, não é mais preciso que você deixe seu emprego para começar a correr atrás dos seus objetivos e montar algo em paralelo.

Muitos lojistas da Shopify administram o próprio negócio em tempo parcial, durante a noite ou nos finais de semana, eventualmente atingindo o período integral, caso optem por isso. Alguns têm um estabelecimento físico para suas lojas, enquanto outros optam por trabalhar de modo totalmente online. 

Agora, as empresas podem existir em uma variedade de formas que simplesmente não eram possíveis antes. Portanto, é natural que as pessoas estejam abrindo seus negócios por inúmeros motivos, muitas vezes oferecendo um produto ou serviço totalmente inovador.


Você tem uma ideia de negócios?

Comece o seu teste grátis de 14 dias da Shopify hoje mesmo, sem precisar de cartão de crédito!

E então: vale a pena ser um empreendedor?

Abrir uma empresa própria pode ser divertido e empolgante, mas também pode ser uma tarefa intimidadora e difícil. Primeiro, pergunte-se se você quer realmente construir um empreendimento em longo prazo. Embora a ideia de ser um empreendedor possa parecer estimulante no começo, construir o próprio negócio pode levar tempo.

Novas empresas têm uma taxa de falha alta. Os empreendedores precisam ter a coragem de deixar de lado a segurança de um contracheque estável e aceitar os altos e baixos da realidade empreendedora. Pode levar um tempo para que seu novo negócio comece a dar lucro. Dito isso, empreender também pode ser recompensador. Mas é importante conhecer os desafios que você encontrará ao correr atrás da sua paixão.

gráfico com principais motivações para abrir uma empresaUma pesquisa da Shopify mostrou que muitos empreendedores citam a independência e a flexibilidade como os principais motivos pelos quais abriram suas empresas.

 Empreender traz consigo muitas vantagens que, para muitas pessoas, compensam o lado negativo. Proprietários de pequenas empresas na Shopify comentam que seria difícil encontrar alguns desses aspectos em outros lugares, como independência e controle do próprio tempo.

Como ser um empreendedor de sucesso: um guia passo a passo

Empreender exige muito planejamento para seguir todas as etapas corretas desde o início, como descobrir o que você quer vender ou como criar um estoque. Para ajudar, vamos falar sobre os sete passos que você precisa seguir para ter sucesso em sua jornada empreendedora.

1. Encontre seu primeiro produto lucrativo

A categoria de produto escolhida é uma das peças-chave do seu negócio online e uma das decisões de maior importância a serem tomadas.

Sabemos que não existe o “produto perfeito”, mas certamente há maneiras de minimizar os riscos ao identificar um produto e um nicho que tenham mais prós do que contras. Use os critérios abaixo como diretrizes para entender melhor as vantagens e desvantagens do produto que você está considerando. Se tudo der certo, isso vai aumentar as chances de sucesso do seu empreendimento.

Mão segura uma peça de quebra-cabeças preta com diversas peças ao fundoFoto: Burst

O produto mexe com uma paixão ou resolve um problema?

É sempre interessante vender produtos que mexam com uma paixão ou resolvam um problema. Uma vantagem a mais dos produtos que satisfazem esses requisitos é que seus custos de marketing tendem a ser baixos, já que os clientes buscam ativamente uma solução. Isso quer dizer que você não precisa investir tanto na divulgação para que eles conheçam seu empreendimento.

A loja da Shopify Weasy, por exemplo, consegue trabalhar com esses dois aspectos ao mesmo tempo. A empresa resolveu o problema de muitos tutores apaixonados por seus cães e gatos (e coelhos!) criando um banheiro inteligente para deixar a vida de humanos e pets mais fácil. Hoje em dia, a loja também comercializa outros produtos para melhorar a relação dos peludos com suas famílias.

Site do lojista WeasyFonte: Weasy
É sempre interessante vender produtos que mexam com uma paixão ou resolvam um problema.

O produto é uma tendência, modismo ou uma categoria em crescimento?

Trabalhar com modismos pode ser arriscado. Uma tendência pode ser lucrativa. Mercados estáveis são seguros, e mercados em crescimento são ideais. Entender onde seu produto e seu nicho estão pode fazer uma grande diferença na sua jornada para se tornar um empreendedor de sucesso.

Para entender melhor as diferenças, vamos ver as curvas de crescimento conceitual e ver um exemplo real de cada tipo.

Gráfico de como as categorias se desenvolvem ao longo do tempo

Modismo

Um modismo é algo que cresce em popularidade por um período bem curto e desaparece rapidamente. Um modismo pode ser lucrativo se você entrar e sair do mercado no momento perfeito. No entanto, isso pode ser difícil de prever e uma receita para o desastre. É melhor criar sua empresa sobre uma base mais sólida. Você se lembra dos fidget spinners? Os brinquedinhos giratórios fizeram sucesso em 2017, alcançaram muita popularidade e se tornaram irrelevantes com a mesma rapidez com que surgiram.

Fidget spinner verdeFoto: Piqsels

Tendência

Uma tendência é uma orientação de prazo mais duradouro acerca do caminho que o mercado está seguindo com relação a determinado produto. Ela não cresce tão rápido quanto um modismo, mas dura mais e normalmente não some com tanta velocidade. Produtos que são tendência às vezes podem se transformar em mercados emergentes de longo prazo, embora isso possa ser difícil de prever. Há muitas tendências que surgiram durante a pandemia: com todo o tempo que estamos passando em casa, itens como panos de prato e recipientes de armazenamento vêm se tornando mais populares.

Estável

Um mercado estável normalmente está imune a abalos e percalços. Não está diminuindo nem crescendo: se mantém bem por períodos longos. Bules de chá, por exemplo, vêm mantendo um nível de popularidade estável nos últimos 15 anos.

Em crescimento

Um mercado em crescimento tem um desenvolvimento consistente e mostra sinais de uma mudança de longo prazo ou permanente. O mercado de athleisure (combinação de “atlético” com “lazer”) vem crescendo desde 2014, mas a pandemia fez com que ele ganhasse ainda mais força. Agora, o mercado (e a demanda por ele) é tão grande que é provável que fique durante muito tempo por aí.

Mulher com roupas confortáveis faz ioga na sala de estarO mercado de athleisure ganhou ainda mais força com a pandemia | Foto: Freepik

Como é o cenário da concorrência?

Como é o cenário da concorrência do seu produto ou nicho selecionado? Você é pioneiro no mercado? Já existem concorrentes ou o mercado está saturado com pessoas vendendo o mesmo produto ou explorando o mesmo nicho?

Se você estiver desbravando um mercado, é importante fazer muita pesquisa para determinar se realmente existe público para o seu produto. Se já houver concorrentes que pareçam estar se saindo relativamente bem, esse pode ser um bom sinal de que o mercado já está validado.

A existência de muitos concorrentes também é um bom sinal de que o produto ou serviço já caíram nas graças do público. Porém, você provavelmente precisará pensar em como diferenciar sua marca e seus produtos do mar de concorrentes para conquistar seu lugar ao sol.

2. Desenvolva seu produto

Depois de decidir o que vai vender, há várias opções para o desenvolvimento do produto. Ele pode ser feito à mão, como os calçados artesanais da Blue Bird Shoes. Você também pode pedir ajuda de um parceiro confiável para desenvolver a ideia do produto de acordo com as especificações.

Site da Blue Bird ShoesFonte: Blue Bird Shoes

Há também a opção de comprar produtos pelo atacado, o que significa comprar itens desenvolvidos previamente de um estabelecimento atacadista. Aliás, uma boa opção se quiser começar a trabalhar com essa estratégia é nosso lojista parceiro Atacado.com.

Se não quiser ter o trabalho de manter um estoque, pode tentar o dropshipping. Dropshipping é quando um cliente compra um item na sua loja e você compra esse produto específico de um fornecedor, que envia o item diretamente para o cliente. Assim, você não precisa armazenar, manusear ou enviar os produtos.

Se você cria seus próprios designs para camisetas, quadros decorativos ou canecas, por exemplo, uma opção bem parecida é a impressão sob demanda. Ou seja, você faz uma parceria com um fornecedor para imprimir seus designs em itens sem marca apenas depois de o cliente comprar o item.

3. Valide seu produto

A próxima etapa é validar sua ideia de produto. Esse é o processo no qual você descobre se está vendendo os produtos que os consumidores realmente querem. A validação real do produto acontece quando você faz suas primeiras vendas. Portanto, antes de investir muito dinheiro ou tempo na sua nova linha de produtos, vale a pena fazer alguns testes de baixo custo.

Você pode criar uma página “em breve” para deixar os clientes empolgados. Também pode disponibilizar produtos em pré-venda para ver se há interesse.

A sex shop pantynova, por exemplo, está vendendo sua linha própria de vibradores em formato de pré-venda, e ainda oferece desconto de 12% e um mimo para quem comprar no período estabelecido. A loja criou uma página exclusiva para os produtos que podem ser encontrados na pré-venda.

Sex shop pantynovaFonte: pantynova

Depois de fazer algumas vendas, você conseguirá avaliar melhor a demanda para esses produtos e, quem sabe, colocá-los definitivamente em seu catálogo.

A real validação dos produtos acontece quando você faz as primeiras vendas.

4. Escreva seu plano de negócios

 Depois de passar pela etapa de validação do produto, é hora de começar uma das atividades mais importantes para você se tornar um empreendedor de sucesso: escrever um plano de negócios. Trata-se de um documento que descreve basicamente tudo sobre a sua empresa. As ideias principais a serem incluídas são: quem você quer alcançar e para quem divulgar, quanto você pode cobrar, as linhas de produto que serão comercializadas no início e sua estratégia de marketing. 

Embora possa parecer empolgante começar com a parte divertida, como configurar suas contas de mídias sociais ou criar um logotipo, um plano de negócios garante que você continue na linha e que tenha uma estratégia sólida e bem pensada para seguir em frente.

Se você não sabe por onde começar ou como precisa ser um plano de negócios, pode baixar o modelo que criamos para você preencher. No link, você também encontra um exemplo de plano para se inspirar.

5. Garanta o investimento necessário

 Abrir uma empresa custa dinheiro, principalmente se você quer vender um produto de fabricação própria. Embora você possa reinvestir os lucros iniciais no próprio negócio, muitas empresas precisam de algum tipo de financiamento. Veja algumas das opções mais comuns:

  • Autofinanciamento. Se você conseguir, pode financiar seu próprio negócio. Porém, é preciso garantir que você possa arcar com os custos por um tempo. Embora muitas empresas se tornem lucrativas com bastante rapidez, dependendo da empresa, pode levar alguns anos para você ter retorno do investimento.
  • Faça um empréstimo. Outra opção é fazer um empréstimo específico para pequenas empresas. O BNDES e a Caixa são boas opções de parceiros para quem está começando.
  • Considere o crowdfunding. Em vez de pedir um empréstimo para um banco, por exemplo, você pode tentar trabalhar com um modelo de financiamento coletivo. Hoje em dia, existem várias plataformas que podem ajudar a colocar seu projeto em prática. 
Gráfico de como as empresas alocaram os investimentos no primeiro anoUma pesquisa da Shopify mostrou que, no primeiro ano da empresa, os empreendedores investiram mais em custos com produtos (matérias-primas, estoque, fornecedor, fabricação, patentes etc.).

6. Inaugure sua empresa

Não pense demais: só se torna um empreendedor de sucesso partindo para a ação. Crie uma checklist para o dia do lançamento. É importante garantir também que qualquer atividade de marketing para a data esteja pronta, como posts orgânicos em mídias sociais.

E não se esqueça do plano de atendimento ao cliente, ou de pelo menos oferecer uma maneira fácil para que os consumidores entrem em contato se precisarem pedir ajuda.

Mulher em call center com headsetFoto: Burst

Depois disso, invista todo o seu tempo e sua energia em fazer as primeiras vendas. Você pode ampliar seus esforços de aquisição mais tarde.

7. Torne-se um estudante de empreendedorismo

Você saberá mais sobre negócios abrindo um negócio próprio do que em qualquer sala de aula. No entanto, empreendedores de sucesso sempre se tornam estudantes do empreendedorismo.

A cofundadora da Front, Mathilde Collin, afirma:

“Líderes experientes de startups compartilham com generosidade suas histórias com a esperança de impulsionar o setor… o conselho de outros empreendedores, investidores e líderes de tecnologia tem sido inestimável para mim em minha carreira até agora. Suas histórias e aprendizados me ajudaram a desviar dos obstáculos em que eles tropeçaram e me guiaram quando precisei enfrentar meus próprios obstáculos ao longo do caminho. ”

Quanto mais tempo você dedicar ao aprendizado, principalmente com aqueles que já trilharam o caminho antes de você, melhor conseguirá evitar erros que custam caro e inovar em questões que outras pessoas não conseguiram inovar. Você pode escolher trabalhar com um mentor, ler livros, fazer cursos, ouvir podcasts, assinar canais do YouTube (como o da Shopify) ou assinar newsletters (também temos). Escolha o método que funcionar melhor para você, mas lembre-se: nunca pare de aprender.

Dois aspectos comuns a todo empreendedor

O termo "empreendedor" é originário da palavra francesa entreprendre: realizar algo. E, apesar das mudanças do empreendedorismo ao longo dos anos, essa parte se mantém praticamente inalterada.

Independentemente da forma como você ou qualquer outra pessoa defina o significado de empreendedorismo e como se tornar um empreendedor de sucesso, é evidente que ninguém pode se tornar um se for preciso aguardar por essa validação.

O motivo disso é que existem pelo menos dois aspectos que certamente todos os empreendedores têm em comum:

  1. Eles são ambiciosos.
  2. Eles começam.

Ilustração de Islenia Milien

Como a tecnologia pode ajudar as pessoas a se tornarem empreendedores de sucesso hoje em dia?

Os avanços tecnológicos trouxeram muitas possibilidades para quem quer abrir seu negócio e ser um empreendedor de sucesso. Há diversos programas e plataformas gratuitas e pagas que ajudam as novas empresas a começar. Redes sociais, mecanismos de busca e plataformas como a Shopify podem ajudar muito quem quer empreender.

Preciso me dedicar em tempo integral para me tornar um empreendedor?

O “empreendedorismo de meio período” é uma realidade hoje em dia: você não precisa deixar seu emprego para montar algo em paralelo. Muitos lojistas da Shopify administram o próprio negócio em tempo parcial. Alguns têm um estabelecimento físico para suas lojas, enquanto outros optam por trabalhar de modo totalmente online.

Qual é o tipo de mercado ideal?

O mercado ideal é o que está em crescimento: tem um desenvolvimento consistente e mostra sinais de ser uma mudança de longo prazo ou permanente. Se conseguir entrar em um mercado em crescimento, são grandes as chances de você alcançar o sucesso se tornando um pioneiro.

Which method is right for you?Sobre a autora

Carolina Walliter é escritora, tradutora, intérprete de conferências e editora-chefe do blog da Shopify em português do Brasil.

Post original em inglês: Alexa Collins

Tradução e localização: Natália Mazzilli

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Entre em contato a nossa Central de ajuda

Tópicos: